PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

'Conheço puxa-saco', diz Lula sobre jantar de Bolsonaro com empresários

08.abr.2021 - O ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva em entrevista ao Diário do Centro do Mundo - Reprodução DCM
08.abr.2021 - O ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva em entrevista ao Diário do Centro do Mundo Imagem: Reprodução DCM
do UOL

Do UOL, em São Paulo

08/04/2021 11h46

O ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT) criticou o encontro de empresários com presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na noite de ontem, em São Paulo, onde foi discutida a política de vacinação do governo para o enfrentamento da covid-19.

"Se tem uma coisa que eu conheço é puxa-saco. Puxa-saco não tem que estar satisfeito com a economia. Puxa-saco é puxa-saco. Jantar esse organizado por um empresário de segurança que deve ser o maior comprador de armas dos decretos do Bolsonaro", disse Lula em uma entrevista ao vivo ao Diário do Centro do Mundo.

"Lamento que como resultado de uma reunião dessa, não saia uma discussão madura de um governo preocupado em cuidar do povo brasileiro", completou o petista.

O jantar mencionado foi oferecido pelo empresário Washington Cinel, dono da empresa de segurança Gocil. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, Bolsonaro foi ovacionado pelos empresários presentes.

Ainda na entrevista, Lula voltou a criticar a postura do presidente frente à pandemia de covid-19. "Ele [Bolsonaro] foi para Chapecó falar bobagem. Você tem um presidente que não tem o menor respeito pelo humanismo e fica estimulando as pessoas dele a também não terem", afirmou, citando a visita do presidente à cidade catarinense ontem. Bolsonaro elogiou o uso do tratamento precoce contra a covid-19 na cidade, ainda que os medicamentos não tenham eficácia comprovada contra o coronavírus.

Eleições de 2022

Questionado sobre a fala do ex-governador Ciro Gomes, que pediu que Lula "desse um passo para trás" e não disputasse as eleições de 2022, o petista afirmou que não é hora de falar do pleito.

"Não estou preocupado em discutir as eleições de 2022 em 2021. Se todos nós ainda tivermos dentro de nós alguma coisa de humanismo, se não aceitarmos a ideia de ser algoritmos e voltar a ser humanos, não temos que discutir agora as eleições", declarou.

Julgamento no STF dia 14

Lula também comentou a expectativa pelo julgamento no plenário do STF (Supremo Tribunal Federal) que pode confirmar ou não a decisão do ministro Edson Fachin, que anulou as condenações do ex-presidente pela 13ª Vara de Curitiba.

"Eu sempre prefiro que meus advogados falem, porque como está no final de uma tomada de decisão desse processo... Eu espero que no dia 14 tomem uma decisão. Eu continuo dizendo que eu acredito na Justiça, e a Justiça vai ter a chance de provar para a sociedade brasileira se eu mereço ou não continuar acreditando na justiça brasileira".

Em 8 de março, Fachin determinou a transferência de quatro processos contra o petista no âmbito da Operação Lava Jato para a Justiça Federal em Brasília, onde as investigações seriam reiniciadas. No dia 14, o plenário da Corte se reúne para julgar a decisão.

Notícias