PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Pai de Henry não se conforma com possível envolvimento da mãe, diz advogado

do UOL

Tatiana Campbell

Colaboração para o UOL, no Rio

08/04/2021 11h07Atualizada em 08/04/2021 16h34

O advogado de Leniel Borel disse que o pai de Henry, morto no dia 8 de março, não se conforma com a possível participação de Monique Medeiros, mãe da criança, na morte do filho, segundo o advogado que o representa. Monique e o padrasto do menino, o vereador Dr. Jairinho (Solidariedade), foram presos na manhã de hoje na casa de uma tia do político em Bangu, zona oeste do Rio.

"O pai tem três sentimentos, ele está chorando muito, está destruído. O primeiro sentimento é de que ele se culpa demais por não ter entendido o que o filho queria passar para ele, que ele podia ter feito mais para que a criança não tivesse falecido", disse Airton Barros, advogado de Leniel.

A defesa diz ainda que Leniel Borel está inconformado com Monique Medeiros, mãe da criança e, assim como Dr. Jairinho - padrasto do menino - presa hoje pela manhã pela morte de Henry. Segundo Airton Barros, "até agora ela [Monique] não demonstra nada. O casal tem uma preocupação muito forte com a imagem. O pai entende que quem deveria proteger era a mãe e ela não protegeu. Ele está muito arrasado com isso".

Além disso, o advogado do pai de Henry Borel relatou que Leniel ficou revoltado com a defesa de Dr. Jairinho e Monique criarem um site e um perfil nas redes sociais com fotos da criança.

"Em relação a essa site que foi criado, que na realidade vem desfocando as informações, trazendo informações não verdadeiras e com uma promoção muito grande. O Leniel está revoltado que utilizaram a morte do filho para uma promoção", acrescentou Barros.

Para a defesa de Leniel, a polícia irá concluir o inquérito apontando o crime homicídio duplamente qualificado — por motivo torpe e sem chances de defesa à vítima.

"Nós já havíamos nos posicionado quando a criança foi entregue à família [Dr. Jairinho e Monique] em perfeitas condições e que ela foi agredida e como resultado dessas agressões houve a morte da criança. E ali estava muito claro, ou seria um homicídio praticado pela manhã, pelo padrasto ou pelos dois. A investigação está indo nesta direção".

O médico e vereador Dr. Jairinho e Monique Medeiros foram presos na manhã de hoje na casa de uma tia do parlamentar, em Bangu, na zona oeste da cidade. Os dois foram levados para a 16ª DP (Barra) onde prestaram novos esclarecimentos, por quase 4 horas, aos agentes.

Notícias