PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Mãe é acusada de matar filho de 6 anos para obter seguro de vida nos EUA

Ashley Marks, de 25 anos, foi acusada de matar seu filho de 6 anos com doses letais de metanfetamina e medicamentos  - House Police Department/Reprodução
Ashley Marks, de 25 anos, foi acusada de matar seu filho de 6 anos com doses letais de metanfetamina e medicamentos Imagem: House Police Department/Reprodução
do UOL

Colaboração para o UOL, em São Paulo

06/04/2021 17h33Atualizada em 08/04/2021 08h03

Uma mãe chamada Ashley Marks, de 25 anos, foi acusada no dia 1º de abril, em Houston, no Texas, de ter matado o filho de 6 anos com doses letais de drogas e medicamentos, com a suposta intenção de lucrar com um seguro de vida da criança.

A mulher compareceu a uma audiência diante do Tribunal do Condado de Harris, onde ela foi acusada formalmente, segundo o site Houston Chronicle. Ashley está atualmente detida em uma prisão local, depois de ter sido presa no dia 31 de março.

"Eu acredito que ela envenenou seu filho para lucrar com duas apólices de seguro de vida que ela fez a seu filho um mês antes de sua morte", apontou o promotor público assistente do condado de Harris, Gilbert Sawtelle, segundo a emissora KHOU.

"Acontece que ela é uma corretora de seguros licenciada no estado do Texas", comentou Gilbert, desta vez ao Click2Houston. "Ela é especialista em seguro de vida ... Essa foi uma grande pista de que esta não foi uma morte acidental."

O suposto homicídio teria ocorrido em junho de 2020, enquanto a vítima, o pequeno Jason Sanchez-Marks, estava hospedado na casa do avô há cerca de dois meses. Ele também estava na companhia da irmã de 4 anos de idade.

As duas crianças contraíram tuberculose e Ashley foi a responsável por medicá-las, dirigindo-se até a casa do avô delas para realizar a tarefa. Porém, ao longo de vários dias, Jason ficou gravemente doente, apresentando vômitos, alucinações e insônia. A irmã dele não teve sintomas, pois se recusava a tomar o remédio oferecido pela mãe.

O garoto de seis anos morreu alguns dias depois, na casa do avô. A morte seria um homicídio pela ingestão de quantidades tóxicas de fármacos sem receita, além de cocaína e metanfetamina, conforme alegado pelo Instituto de Ciências Forenses, do Condado de Harris.

O avô das crianças relatou à polícia que encontrou Jason "sem resposta e sem conseguir respirar". Ele então acionou o número de emergência, mas a criança morreu.

Nesta segunda-feira (5), a mãe da vítima esteve em um nova audiência, onde sua fiança foi estimada no valor de 750 mil dólares — R$ 4,1 milhões —, mas ainda caberá ao estado negar a possibilidade da quantia. Se a acusada responder em liberdade, ela terá que usar um monitor de GPS e não poderá entrar em contato com nenhum menor de 17 anos.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado na primeira versão desta matéria, a conversão de 750 mil dólares é R$ 4,1 milhões, e não R$ 4,1 mil. A informação já foi corrigida.

Notícias