PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Barra Torres: Isolamento deve ser seguido por muito tempo, apesar de vacina

"Use máscara, efetue o distanciamento social, higienize suas mãos", pediu o presidente da Anvisa - Pedro França/Agência Senado
"Use máscara, efetue o distanciamento social, higienize suas mãos", pediu o presidente da Anvisa Imagem: Pedro França/Agência Senado
do UOL

Natália Lázaro

Colaboração para o UOL, em Brasília

04/03/2021 17h15Atualizada em 04/03/2021 19h05

O presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Antônio Barra Torres, fez um apelo à população para que continue usando máscara e mantenha o isolamento social como medidas prioritárias no combate ao coronavírus. Para ele, as iniciativas básicas de higiene pessoal contra a covid-19 deverão perdurar por "muito tempo" até que a maioria da população seja vacinada.

"Use máscara, efetue o distanciamento social, higienize suas mãos com os recursos que estão disponíveis à mercê de Deus na maioria dos lares brasileiros: água e sabão. E use o álcool em gel sempre que possível", pediu.

"À mercê de Deus, vamos estar em uma condição melhor no quadro vacional. Mas, mesmo assim, as medidas que acabei de citar permanecerão em muito tempo até que se estabeleça uma imunidade na maioria dos nossos cidadãos."

O comentário foi feito durante debate entre os representantes do Ministério da Saúde e da Anvisa, no Plenário do Senado Federal. A iniciativa foi da senadora Rose de Freitas (MDB-ES) e aprovada em 10 de fevereiro. No requerimento, os senadores pedem explicações e detalhamento sobre o andamento das vacinas no Brasil, assim como ações do Ministério da Saúde para combate da pandemia.

Aprovação de vacinas para uso emergencial

Questionado pela senadora Rose sobre a necessidade da execução de três fases de testes das vacinas para aprovação do uso emergencial, Torres comentou que, quando decidido, a "necessidade" da etapa era "obrigatória" perante o quadro da pandemia o país. Porém, ele admitiu que os trabalhos da Anvisa devem ser revistos para "modificações melhores".

"Então entendemos naquele ponto ser razoável, sim, ter estudos no Brasil com brasileiros. Quando entendemos que era necessário dispensar, assim fizemos", completou.

Criticado pela demora da aprovação das vacinas, Torres defendeu que a Anvisa foi eleita a "mais rápida do mundo" no que tange aos assuntos vacinais. Ele ressaltou que cabe a cada desenvolvedor procurar a agência para análise, e não o contrário.

Cronograma de vacinação

Segundo a coordenadora nacional do Programa de Imunizações do Ministério da Saúde, Francieli Fantineto, presente na reunião de forma remota, o cronograma foi separado por 29 grupos prioritários e já alcançou os seis primeiros, integralmente. No total, foram 10,2 milhões de brasileiros imunizados.

O objetivo é chegar a marca de 77 milhões de pessoas vacinadas contra a covid-19. Cerca de 593 milhões de doses já foram contratadas ou estão em fase de tratativa pela pasta.

O secretário-executivo da Saúde, Élcio Franco, também participou do debate e disse que a pasta é favorável a vacinação dos que já foram infectados pela covid-19, sendo necessária a espera de 30 dias após o resultado positivo para a doença.

Segundo Franco, a pasta adquiriu 190 milhões de seringas por meio de pregão e tem feito acordos para garantir outras 70 milhões. Além disso, disse ele, que foram doadas 55 milhões de seringas, em argumento de que não haverá a falta para a campanha de imunização

Notícias