PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Globo de Ouro 2021: os ganhadores do prêmio para o melhor do cinema e TV de Hollywood

01/03/2021 08h35

"Nomadland" levou o prêmio de melhor filme e sua diretora, Chloe Zhao, se tornou a segunda mulher na história do prêmio a triunfar na categoria de direção. "The Crown" prevaleceu nas categorias de televisão.

A 78ª edição do Globo de Ouro deste domingo foi uma longa videoconferência com atores de gala e outros de pijama e moletom.

Dois meses depois do normal, os prêmios dados pela Hollywood Foreign Press Association (HFPA) foram realizados virtualmente devido à pandemia e com seus anfitriões, as comediantes Tina Fey e Amy Poehler, em duas cidades (Nova York e Los Angeles, respectivamente).

A cineasta chinesa Chloe Zhao se tornou a segunda mulher a triunfar na categoria de direção, depois de Barbra Streisand com Yentl em 1984.

Seu longa, Nomadland, também ganhou o prêmio de melhor filme. Estrelado por Frances McDormand, o filme conta a história de americanos que viajam de carro pelo país para preencher vagas sazonais de trabalho.

A comédia Borat: Fita de Cinema Seguinte triunfou nessa categoria, assim como seu protagonista, Sacha Baron Cohen, na seção de performance de comédia.

The Crown ganhou nas principais categorias de drama de televisão e o ator Chadwick Boseman recebeu um prêmio póstumo por seu papel em A Voz Suprema do Blues.

A festa foi inicialmente marcada por críticas à HFPA sobre a ausência de membros negros. A associação prometeu mudar a composição de seu júri.


Os vencedores

Melhor filme - drama

  • Nomadland

Melhor atriz em um filme - drama

  • Andra Day, Estados Unidos vs. Billie Holiday

Melhor ator em um filme - drama

  • Chadwick Boseman, A Voz Suprema do Blues

Melhor diretora

  • Chloe Zhao, Nomadland

Melhor filme - musical ou comédia

  • Borat: Fita de Cinema Seguinte

Melhor ator em filme - musical ou comédia

  • Sacha Baron Cohen, Borat: Fita de Cinema Seguinte

Melhor atriz em filme - musical ou comédia

  • Rosamund Pike, Eu Me Importo

Melhor atriz coadjuvante em filme

  • Jodie Foster, The Mauritanian

Melhor ator coadjuvante em filme

  • Daniel Kaluuya, Judas e o Messias Negro

Melhor minissérie ou filme para TV

  • O Gambito da Rainha

Melhor atriz em minissérie ou filme para TV

  • Anya Taylor-Joy, O Gambito da Rainha

Melhor ator em minissérie ou filme para TV

  • Mark Ruffalo, I Know This Much Is True

Melhor ator coadjuvante em minissérie ou filme para TV

  • John Boyega, Small Axe

Melhor atriz coadjuvante em minissérie ou filme para TV

  • Gillian Anderson, The Crown

Melhor filme em língua estrangeira

  • Minari (Estados Unidos)

Melhor série de TV - drama

  • The Crown

Melhor ator em uma série de drama

  • Josh O'Connor, The Crown

Melhor atriz em uma série de drama

  • Emma Corrin, The Crown

Melhor série de TV - musical ou comédia

  • Schitt's Creek

Melhor atriz em série de TV - musical ou comédia

  • Catherine O'Hara, Schitt's Creek

Melhor ator em série de TV - musical ou comédia

  • Jason Sudeikis, Ted Lasso

Melhor longa-metragem de animação

  • Soul

Melhor roteiro - filme

  • Os 7 de Chicago

Melhor canção original - filme

  • "Io Si (Seen)" - Rosa e Momo

Melhor trilha sonora - filme

  • Soul - Trent Reznor, Atticus Ross, Jon Batiste

Prêmio Honorário Cecil B DeMille- Jane Fonda

Prêmio HonorárioCarol Burnett - Norman Lear


Uma admissão da falta de diversidade

Os indicados e vencedores são escolhidos por 87 membros da associação, que nos últimos dias foi alvo de uma campanha de boicote chamada #TimesUpGlobes, após se saber que nenhum de seus membros é negro.

A organização respondeu que vai colocar em ação um plano para incluir membros negros e outras minorias tradicionalmente sub-representadas.

Fey e Poehler abordaram com humor o assunto no discurso de abertura da cerimônia: "A associação é formada por 90 jornalistas internacionais, nenhum negro. Dizemos 90 porque alguns podem ser fantasmas e dizem que o membro alemão é uma linguiça com cara desenhada".

"Os prêmios são estúpidos", disse Fey. "Mas mesmo com coisas estúpidas, a inclusão é importante", acrescentou, depois exigiu que o HFPA alterasse a composição de seus membros.

Mais tarde na festa de gala, três membros da Associação admitiram no palco que deveria haver jornalistas negros em seu grupo e reconheceram que tinham trabalho interno a fazer.

Também voltaram este ano as dúvidas de que as escolhas dos indicados e vencedores podem ser influenciadas por promoções e brindes das produtoras, algo que a associação negou.

Personagens da vida real

Vários dos artistas premiados no cinema e na televisão trouxeram figuras históricas para a ficção.

Daniel Kaluuya ganhou o primeiro prêmio da noite por seu papel como o líder do Partido dos Panteras Negras Fred Hampton em Judas e o Messias Negro.

"Espero que as gerações futuras possam ver o quão brilhantemente ele pensava, quão brilhantemente ele falava e quão brilhantemente ele amava", disse ele em reconhecimento a Hampton, que foi assassinado aos 21 anos em 1969.

Andra Day surpreendeu ao ganhar o troféu de melhor atriz por seu papel como a cantora de jazz e swing Billie Holiday, já que a favorita de acordo com as previsões era Carey Mulligan por seu papel em Mulher Jovem Promissora.

Os britânicos Josh O'Connor e Emma Corrin receberam prêmios por suas interpretações da princesa Diana e do príncipe Charles da Inglaterra.

Corrin prestou homenagem à princesa Diana em seu discurso: "Você me ensinou compaixão e empatia além do que posso imaginar", disse ela.

A renomada atriz britânica Gillian Anderson também foi homenageada por sua interpretação da ex-primeira-ministra britânica Margaret Thatcher na mesma série.

Discursos poderosos

Chadwick Boseman se tornou o segundo vencedor póstumo do prêmio de melhor ator em drama por seu trabalho como músico de jazz em A Voz Suprema do Blues.

O ator dos Panteras Negras morreu aos 43 anos em agosto do ano passado de câncer de cólon.

"Ele diria algo muito bonito, muito inspirador", disse sua esposa, Taylor Simone Ledward, chorando.

"Não tenho as palavras dele, mas temos de aproveitar os momentos para celebrar aqueles que amamos", continuou.

Chloe Zhao também fez um discurso sincero sobre a compaixão e como isso alimentou seu desejo de fazer filmes.

"Isso nos dá a oportunidade de rir e chorar juntos, de aprender uns com os outros e ter mais compaixão", disse ele.

Com sua filha nos braços, o cineasta americano Lee Isaac Chung recebeu o prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira por Minari, um filme centrado em uma família coreano-americana que se mudou para a zona rural do Arkansas na década de 1980.

"Ela é a razão de eu ter feito o filme", ??disse ele, referindo-se à filha. "É sobre uma família tentando aprender um idioma. É mais profundo do que qualquer língua estrangeira, é uma língua do coração", disse ele.

O prêmio gerou polêmica por ter incluído o filme em uma categoria que geralmente inclui produções não realizadas nos Estados Unidos. Os personagens falam mais em coreano do que em inglês.

Por fim, a lendária atriz e ativista Jane Fonda usou seu tempo no palco para exigir mais diversidade na indústria.

Fonda, que foi homenageada com o prêmio Cecil B DeMille pelo conjunto de sua obra, disse: "Vamos nos esforçar para expandir a tenda para que todos se levantem e a história de todos tenha a chance de ser vista e ouvida. Vamos ser líderes."


Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

https://www.youtube.com/watch?v=bTke1itjD2w

https://www.youtube.com/watch?v=I5YTNcu8yyo

https://www.youtube.com/watch?v=_DDsK_uAzvg

Notícias