PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Quatorze supostos cúmplices de atentados em Paris em 2015 serão julgados

Moradores de Paris realizaram vigílias em 2016 para relembrar o atentado terrorista ocorrido na casa de espetáculos Bataclan - Leo Lemos/FramePhoto
Moradores de Paris realizaram vigílias em 2016 para relembrar o atentado terrorista ocorrido na casa de espetáculos Bataclan Imagem: Leo Lemos/FramePhoto

24/02/2021 09h28

Bruxelas, 24 Fev 2021 (AFP) - Quatorze supostos cúmplices dos comandos jihadistas que atacaram Paris em 13 de novembro de 2015 foram enviados nesta quarta-feira (24) a um tribunal penal da Bélgica, segundo anunciou o Ministério Público Federal belga.

São suspeitos não retidos no julgamento francês.

Dos 20 acusados no caso belga, a Justiça desse país desestimou cinco casos e vincula o caso de um acusado com outro caso, disse à AFP um porta-voz do MP.

A decisão foi tomada a portas fechadas e cabe recurso.

O julgamento pode acontecer no segundo semestre de 2021 em Bruxelas.

Suspeitos de ter transportado, abrigado ou ajudado materialmente os atacantes no território belga, os supostos cúmplices encaminhados ao tribunal não serão todos julgados pelas mesmas acusações, acrescentou o porta-voz Eric Van Duyse.

Mas a maioria deles -12 segundo o MP - terão que responder por "participação em atividades de um grupo terrorista".

Os atentados, reivindicados pela organização Estado Islâmico (EI), mataram 130 pessoas na capital francesa e na cidade vizinha de Saint-Denis, na noite de 13 de novembro de 2015.

Preparados em grande parte na Bélgica, onde os atacantes tinham vários esconderijos, os atentados geraram muito rapidamente a abertura de uma investigação por parte da Justiça anti-terrorista de Bruxelas.

Neste caso chamado "Paris Bis", os investigadores se concentraram em todas as formas de apoio aos autores. Inclui Salah Abdeslam, o único membro sobrevivente do comando que atacou Paris, que esteve foragido durante quatro meses até ser preso na capital belga em 18 de março de 2016.

Notícias