PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Motoboys de app destroem portão e carro de morador em Bauru; assista

do UOL

Ed Rodrigues

Colaboração para o UOL, no Recife

23/02/2021 07h11

Um grupo com pelo menos 15 motoboys de aplicativos de comida foi flagrado depredando a casa e o carro de um cliente em Bauru, interior de São Paulo. A agressão seria uma vingança por causa de golpes que o morador teria aplicado em todos eles. O usuário do app, que não teve a identidade revelada, teria o costume de pedir produtos e depois alegar não ter recebido as encomendas.

As agressões foram filmadas e postadas em redes sociais. No vídeo, é possível ver os homens com mochilas de entregas nas costas chutando e esmurrando o portão da residência.

O grupo continua investindo contra o equipamento até que consegue deslocá-lo. Em seguida, ocorre uma invasão generalizada à garagem da residência e a depredação passa a ter como alvo um veículo que estava estacionado.

motoboys - Reprodução - Reprodução
Motoboys de app destroem portão de cliente após supostos golpes
Imagem: Reprodução

A retaliação foi organizada em grupos de mensagens. Wilson Brandão, que trabalha com entregas há um ano e meio, recebeu o aviso dos colegas. "Disseram que iriam fazer o cara se arrepender da safadeza que ele faz", afirmou ao UOL, dizendo não ter participado do vandalismo.

O entregador detalhou o golpe que o morador supostamente costuma aplicar. "Ele pede cerveja, comida e outras coisas. Aí espera passar da meia-noite e diz no aplicativo que o pedido não foi entregue. Eu mesmo já levei sanduíche lá e depois recebi a notificação do app", continuou.

Um entregador que participou do ataque, mas que pediu anonimato, explicou que a conduta do usuário prejudica a categoria. "Nossa avaliação fica comprometida. O aplicativo devolve o dinheiro dele e o entregador termina expulso da plataforma. Eu estava lá. Não concordo com a violência, mas agora ele deve refletir", disse.

O dono do imóvel não foi encontrado para comentar o ataque. Já a Polícia Civil explicou que ainda não há Boletim de Ocorrência registrado, que é o que inicia uma investigação.

Em nota, o Sindimoto garantiu que vai apurar os fatos e desfiliar do sindicato quem tiver participado das agressões.

O sindicato acrescentou que repudia quaisquer "atos de vandalismo praticados contra patrimônio público ou privado de qualquer natureza bem como racismo e de apologia à violência".

Notícias