PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Enchente no Acre deixa mais de 10 mil pessoas sem luz em dez cidades

do UOL

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, no Recife

22/02/2021 14h49Atualizada em 22/02/2021 21h17

A cheia de rios e seus afluentes no Acre deixou 10.140 pessoas sem luz em dez municípios acreanos. Segundo a Energisa Acre, a distribuição de energia elétrica foi suspensa por medida de segurança para evitar acidentes. Comunicado emitido pela companhia, na noite de hoje, atualizou o número de religações, diminuindo para 9.724 pessoas sem energia elétrica. A empresa afirmou que não há previsão de retorno total.

"A situação das chuvas no estado é muito crítica e regiões inteiras estão alagadas", alegou a Energisa Acre, em nota oficial.

Além de cidades alagadas há sete dias, o Acre enfrenta problemas com surto de dengue, a pandemia do novo coronavírus e crise migratória na fronteira com o Peru. Já são 120 mil pessoas atingidas pelas enchentes no estado. A situação fez o governador do estado, Gladson Cameli (PP), comparar o momento a uma guerra. "Com tudo o que está acontecendo, eu vou te dizer que vivemos uma terceira guerra mundial", disse ontem em entrevista à CNN Brasil.

Levantamento da Secretaria Assistência Social, dos Direitos Humanos e Políticas para Mulheres do Acre registra cerca de 300 imigrantes que tentam passar pela fronteira por meio de Assis Brasil.

No município de Assis Brasil, cerca de 200 imigrantes tentam atravessar a fronteira do Brasil com o Peru, mas não conseguem. O grupo está acampado na ponte da Integração. Segundo a prefeitura da cidade, a maioria do grupo é formada por haitianos, que vem se refugiando no país desde 2010.

Eles estavam em abrigos, tentaram passar pela fronteira, mas foram impedidos pela polícia do Peru em cumprimento a decreto para conter a pandemia naquele país. O governo do Acre e a Prefeitura de Assis Brasil pedem que o grupo retorne aos abrigos até que a situação seja resolvida.

Cameli informou que o governo federal está em negociação com o governo do Peru para liberação da entrada do grupo no país. "Estamos fazendo de tudo para solucionar essa crise o quanto antes, e o governo federal está negociando o caso com o governo peruano. Por isso pedi compreensão aos imigrantes para que eles voltem aos abrigos onde recebem os cuidados necessários", disse o governador.

Dez cidades sem luz

O fornecimento de energia elétrica está suspenso parcialmente na capital Rio Branco e nas cidades de Cruzeiro do Sul, Feijó, Jordão, Manoel Urbano, Porto Walter, Rodrigues Alves, Sena Madureira, Santa Rosa e Tarauacá.

Número de clientes afetados por município (antes da religação):

  • Tarauacá - 4.914
  • Sena Madureira - 2.620
  • Cruzeiro do Sul - 1.898
  • Rodrigues Alves - 402
  • Feijó - 112
  • Rio Branco - 83
  • Porto Walter - 50
  • Manoel Urbano - 49
  • Santa Rosa - 10
  • Jordão - 2

A maioria das religações ocorreu no município de Tarauacá, onde houve redução do volume de água e 1.128 clientes tiveram energia elétrica restabelecida.

A energia elétrica foi religada também em Sena Madureira e Jordão. Entretanto, a Energisa Acre afirmou que a "empresa continua com atenção redobrada porque as chuvas podem voltar, e os rios estão com as calhas cheias".

A Energisa Acre destacou que a população deve ter cuidado para evitar acidentes com a energia elétrica durante esse período de enchentes e recomenda que as pessoas fiquem distantes de cabos e fios elétricos. "A combinação água e eletricidade é a responsável por acidentes graves e, em boa parte das vezes, fatais", alertou.

Em caso de situação de risco, a população deverá entrar em contato com a Energisa Acre, por meio do telefone 0800-647-7196 (funciona 24h) ou por meio do WhatsApp no número (68) 99233-0341 (de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 16h).

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do publicado na primeira versão, o grupo de imigrantes que está parado na fronteira entre Brasil e Peru não é de peruanos. A maioria é de haitianos, segundo a Prefeitura de Assis Brasil (AC). A informação foi corrigida.

Notícias