PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Cem milhões de infectados com coronavírus e contágios em alta

26/01/2021 22h10

Paris, 27 Jan 2021 (AFP) - Mais de 100 milhões de pessoas contraíram oficialmente o novo coronavírus no mundo desde que a doença surgiu em dezembro de 2019 na China, de acordo com uma contagem da AFP desta terça-feira (26), às 21h30 GMT (18h30 horário de Brasília).

Em pouco mais de um ano, a pandemia matou 2.151.000 pessoas dos 100.011.000 casos detectados. Enquanto a corrida por vacinas continua e o surgimento de múltiplas variantes levanta sérias preocupações, o número de novos casos permanece em um nível muito alto.

10 milhões de casos em quinze dias Após as dificuldades e atrasos na implementação das políticas de detecção do novo coronavírus durante os primeiros meses da pandemia, o verão de 2020 conheceu um período de relativa estabilidade no número de casos detectados no mundo. Em julho-agosto, cerca de 250.000 pessoas testaram positivo em média por dia.

A chegada da segunda onda, principalmente na Europa, aumentou exponencialmente o número de positivos. Mais de 300.000 por dia em outubro, 500.000 em novembro, 600.000 em dezembro até um máximo de 740.000 casos diários no mundo na segunda semana de janeiro.

Apesar de uma desaceleração recente (600.000 casos por dia em média nos últimos sete dias - 12% a menos que na semana anterior -, mais de 10 milhões de novos casos foram registrados no mundo desde 10 de janeiro.

Europa e Estados Unidos, os mais atingidosOs 52 países e territórios que compõem a região da Europa (que inclui Rússia e Turquia) registram mais de 32 milhões de casos, o que representa quase um terço do total de infectados no mundo, além de 710.600 mortes.

O número de novos casos também caiu nos últimos sete dias, para 210 mil por dia, 10% a menos que na semana anterior.

Depois da Europa, as regiões com mais casos acumulados são Estados Unidos e Canadá (26.142.600 casos, 443.000 óbitos), América Latina e Caribe (18.313.600, 577.400) e Ásia (14.981.700, 236.500).

Em relação à população dessas regiões, os Estados Unidos e o Canadá são os países que mais registram casos, uma vez que 7% da população apresentou teste positivo para o novo coronavírus. A Europa está em segundo lugar neste indicador, com 3,8% da população com resultados positivos.

Preocupação Em alguns países gravemente atingidos, a pandemia continua a se espalhar. Entre eles, Espanha (mais de 256.000 casos nos últimos sete dias, 14% a mais que na semana anterior), México (122.000, +13%) ou França (143.000, + 12%).

Portugal, apesar do novo confinamento geral em vigor há uma dezena de dias, é o país que registrou o maior número de casos novos no mundo em relação à sua população (849 casos por 100.000 habitantes) na semana passada. O número total de infectados diagnosticados em sete dias, mais de 86 mil, aumentou 29% em relação à semana anterior.

Esperanças Embora tenha registrado cerca de 170.000 novos casos por dia em média, nos Estados Unidos as infecções diárias foram reduzidas em 19% na última semana.

O Reino Unido, onde uma variante mais contagiosa do coronavírus levou à implementação de um confinamento "rígido" no início de janeiro, também registrou uma redução nas novas infecções, com 236 mil na semana passada, o que é 25% menor que a semana anterior. O número de mortos, no entanto, continua aumentando, com mais de 8.600 falecimentos nos últimos sete dias, um crescimento de 10%.

Na África do Sul, o número de novos casos também diminuiu 30% na última semana, embora o país seja responsável por mais de um terço dos novos casos registrados no continente africano.

Já a Irlanda, que no início de janeiro era o país com maior número de casos novos detectados diariamente em proporção à sua população, registra uma desaceleração espetacular da pandemia, com uma redução de 37% de novos casos em duas semanas (menos de 15.000 contra mais de 22.000 na semana anterior).

bur-sim/tup/cls/af/am/mvv

Notícias