PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Governadores decidem ceder 5% das próximas doses de vacinas para o Amazonas

Profissional de saúde em hospital de Manaus; cidade enfrenta colapso do sistema de saúde - 15.jan.2021 - Yago Frota/Estadão Conteúdo
Profissional de saúde em hospital de Manaus; cidade enfrenta colapso do sistema de saúde Imagem: 15.jan.2021 - Yago Frota/Estadão Conteúdo
do UOL

Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

22/01/2021 08h48

O Fórum dos Governadores concordou em destinar 5% dos próximos lotes de vacinas contra a covid-19 para o combate à pandemia do novo coronavírus no Amazonas.

Dessa forma, dos 4,8 milhões de doses da CoronaVac e dos 2 milhões da Vacina de Oxford/AstraZeneca, cerca de 340 mil serão destinadas para o estado do Norte do país. Os cerca de 6,4 milhões restantes serão distribuídos proporcionalmente a todas as unidades federativas, incluindo o Amazonas.

Assim, com a proposta do Fórum, o Amazonas poderá totalizar cerca de 645 mil novas doses. No começo desta semana, quando foi distribuído o primeiro lote de CoronaVac, o estado recebeu 282.320 doses — 4,7% do total.

A proposta foi apresentada pelo governador do Piauí, Wellington Dias (PT). Em mensagem ao grupo, ele disse que a situação é "uma questão humanitária". "Situação é muito séria e já se espalha na região. Transmissibilidade alta."

A situação no Amazonas vem se agravando desde as festas de fim de ano. As unidades de saúde de Manaus estão superlotadas e, na semana passada, o estoque de oxigênio nos hospitais acabou. A média móvel de mortes no estado cresceu 217% em relação ao dado de duas semanas atrás.

Decisão unânime

Segundo Dias, a proposta, sugerida por técnicos que acompanham a situação no Amazonas, tem o apoio do Ministério da Saúde. "Controlando em Manaus, estamos controlando também no Brasil. E a aprovação é um gesto muito importante por parte do Fórum dos Governadores", disse o governador do Piauí em vídeo.

Nenhum dos governadores se apresentou contra a medida. Governadores como Flávio Dino (PCdoB), do Maranhão, e João Doria (PSDB), de São Paulo, concordaram com a proposta.

Ao UOL Dino disse que "a decisão dos governadores serve para sublinhar que o problema no Amazonas é de interesse nacional, e não apenas local". "Espero que se multipliquem as ações do governo federal na região. É um dever, não um favor."

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), agradeceu a todos pelo apoio e disse que a situação "é de fato muito preocupante e logo irá atingir outros estados".

A reportagem solicitou o posicionamento do Ministério da Saúde sobre a proposta dos governadores e aguarda resposta.

As doses da vacina de Oxford devem chegar hoje ao Brasil. Já o novo lote de doses da CoronaVac aguarda liberação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) —a agência também deve se pronunciar hoje.

Pedido de prioridade

No dia 11, o governador do Amazonas já havia pedido prioridade do estado na campanha nacional de vacinação contra a covid-19. Wilson Lim estava ao lado do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que visitava Manaus.

"Faço um apelo ao senhor [Pazuello] e à sua equipe para que o estado do Amazonas neste momento possa ter uma prioridade, no sentido de receber a maior quantidade possível de doses para que a gente possa sobretudo vacinar as pessoas em situação de vulnerabilidade, indígenas, profissionais de saúde, idosos no interior e comunidades distantes."

Pazuello seguiu dizendo que todos os estados começariam a vacinação juntos.

"Vamos vacinar em janeiro e Manaus será também a primeira a ser vacinada. Eu fui claro? Ninguém receberá a vacina antes de Manaus. A vacina será distribuída simultaneamente em todos os estados na sua proporção de população, e Manaus terá essa prioridade também", disse, em pronunciamento no dia 13.

Notícias