PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Líderes da direita italiana pedem novas eleições para presidente

21/01/2021 16h52

ROMA, 21 JAN (ANSA) - Os líderes dos partidos de direita e da extrema-direita se reuniram nesta quinta-feira (21) com o presidente da Itália, Sergio Mattarella, e pediram a convocação de novas eleições no país por conta da crise política que quase derrubou o governo do premiê Giuseppe Conte nesta semana.   

Chamado de "bloco da centro-direita", o vice-presidente do Força Itália, partido de Silvio Berlusconi, Antonio Tajani, e dos ultranacionalistas Liga, Matteo Salvini, e Irmãos da Itália (FdI), Giorgia Meloni, se reuniram por cerca de uma hora com o mandatário e publicaram uma nota oficial sem dar muitos detalhes das conversas.   

"Matteo Salvini, Giorgia Meloni e Antonio Tajani manifestaram ao presidente da República, em nome de toda a centro-direita, a grande preocupação sobre a condição da Itália: enquanto as emergências sanitária e econômica recaem sobre as famílias e empresas, o voto da terça-feira certificou a inconsistência sobre a maioria. É convicção para a centro-direita que com esse Parlamento será impossível trabalhar", diz o comunicado citando as votações da semana.   

Ao fim, os representantes afirmam que tem "confiança na sabedoria" de Mattarella para resolver a situação.   

Em um vídeo publicado pela Liga, Salvini foi menos vago e afirmou que "não se pode continuar assistindo a compra e venda de senadores, de um governo sem ideias, sem visão e sem maioria" e que, por isso, pediram por novas eleições. "Nós confiamos só nos italianos. Melhor investir dois meses de tempo dando a palavra aos italianos e depois trabalhar pelos próximos cinco anos tranquilos", acrescentou.   

Na terça-feira (19), Conte obteve maioria (156 a 140) para permanecer no cargo de primeiro-ministro do país. No entanto, a vitória só foi possível porque o partido de Matteo Renzi, Itália Viva, se absteve. O ex-premiê, inclusive, foi quem promoveu toda a crise política ao anunciar sua saída da base aliada governamental.   

Apesar de ser a minoria na comparação com o Movimento Cinco Estrelas (M5S), o Partido Democrático (PD) e com outras pequenas siglas de esquerda, o IV era fundamental para a coalizão vencer no Senado.   

Já os partidos de direita e extrema-direita devem representar a maioria dos votos dos italianos, segundo as últimas pesquisas de opinião. No entanto, alguns conservadores mais moderados - especialmente do FI - são contrários à realização de novas eleições por conta da segunda onda da Covid-19 que afeta a Itália. (ANSA).   

Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Notícias