PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Amiga é presa suspeita de matar manicure encontrada morta em floresta no ES

Niasia Alves Santos, 26, de Guarapari (ES), foi encontrada morta - Arquivo Pessoal
Niasia Alves Santos, 26, de Guarapari (ES), foi encontrada morta Imagem: Arquivo Pessoal
do UOL

Vinícius Rangel

Colaboração para o UOL, em Vitória (ES)

21/01/2021 20h08

Duas pessoas foram presas suspeitas de matar a manicure Niasia Alves dos Santos, de 26 anos. Eles foram detidos no final da tarde de quarta-feira (20), no município da Serra, no Espírito Santo. Segundo a polícia, a suspeita do crime era amiga da vítima.

A Polícia Civil conseguiu chegar até os suspeitos depois de quase um mês do sumiço de Niasia. A delegada responsável pelo caso, Raffaela Aguiar, explicou que eles são um casal e foram detidos dentro da própria casa, também na cidade onde o crime aconteceu.

"Com depoimentos de pessoas bem próximas da vítima, a gente conseguiu um direcionamento que nos apontasse que esses dois que foram presos ontem eram os autores", contou a delegada.

Niasia desapareceu no dia 22 de dezembro do ano passado, quando saiu de moto de Guarapari, dizendo que iria encontrar uma amiga. O corpo da jovem foi encontrado no dia 27 do mesmo mês, em avançado estado de decomposição e com sinais de violência.

"A ossada foi encontrada em uma floresta de eucalipto com indícios de violência, sendo possível notar que a costela estava quebrada. A gente não conseguiu precisar qual instrumento foi usado no crime, mas temos certeza de que houve morte violenta", explicou Aguiar.

"A mãe dela fez o DNA, mas eu tive que ir ao DML [Departamento Médico Legal] para levar o exame dentário dela. Só assim eles conseguiram identificar e me ligaram para dizer que era o corpo dela que estava lá no necrotério, uma dor absurda", disse o pai de Niasia, Marcos Renan Santos, de 46 anos, ao UOL.

Em depoimento na Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher, o casal foi orientado pelos advogados a não comentar sobre o caso.

Em nenhum momento eles demonstraram arrependimento pelo crime cometido, informou a polícia.

Suspeita era amiga da vítima

A delegada Raffaela Aguiar acompanha o caso da manicure Niasia Alves dos Santos - Reprodução - Reprodução
A delegada Raffaela Aguiar acompanha o caso da manicure Niasia Alves dos Santos
Imagem: Reprodução

As investigações apontaram que a suspeita do cometer o crime era amiga íntima de Niasia Alves. Durante a apuração do caso, a mulher, de 33 anos, chegou a ser ouvida pelos investigadores e alegou apenas que tinha comprado a moto da vítima e nunca mais teve contato com ela.

"Como ela era amiga da vítima, intimamos ela a comparecer à delegacia. Ela contou que tinha adquirido a moto da vítima no dia que ela desapareceu e depois não teve notícias. Depois descobrimos que a moto estava no interior do estado, com o irmão da investigada", contou a delegada do caso.

A suspeita, ao ser detida, ainda tentou resistir à prisão. Ela e o marido foram levados para o Centro de Detenção Provisório de Viana.

'Nada vai trazer minha filha de volta'

O pai de Niasia recebeu a notícia da prisão dos suspeitos na noite desta quarta-feira (20). Para ele, a detenção até traz um alívio, mas ainda o sentimento que predomina é dor e tristeza.

"A prisão deles traz 10% de alívio. Tudo ainda é muito recente. Dói muito. Nada vai trazer a minha filha de volta. Nada justifica a crueldade que eles fizeram com a minha filha", contou o pai da jovem.

Segundo Marcos, a filha tinha adquirido a moto há cerca de três meses e transferiu recentemente para o nome dela. Ele não acredita na versão contada pela amiga, já que os documentos da moto também estavam com ele. Niasia saiu de casa sem levá-los.

"Agora, o rapaz que foi encontrado com a moto tem que explicar sobre isso. Acredito que tem mais gente para ser detido. Essa história está nada explicada. A polícia tem que investigar", disse Marcos.

Notícias