PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

São Paulo já imunizou mais de 1 mil profissionais de saúde com CoronaVac

18.jan.2021 - Profissionais de saúde do Hospital das Clínicas de SP são vacinados com a vacina CoronaVac no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo - Marcelo Justo/UOL
18.jan.2021 - Profissionais de saúde do Hospital das Clínicas de SP são vacinados com a vacina CoronaVac no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo Imagem: Marcelo Justo/UOL
do UOL

Arthur Stabile

Colaboração para o UOL, de São Paulo

18/01/2021 16h21Atualizada em 18/01/2021 21h54

No estado de São Paulo, 1.030 profissionais de saúde já receberam doses da vacina contra a covid-19 elaborada no estado pelo Instituto Butantan. A maior parte é de enfermeiros e técnicos de enfermagem que estiveram no Hospital das Clínicas, na zona oeste da capital paulista, desde a manhã de hoje.

Somente no HC, mais de 600 pessoas foram imunizadas: 112 no primeiro dia e 15 em Campinas.

Pela manhã, a previsão era de que 500 profissionais da saúde seriam vacinados hoje, com a meta de vacinar diariamente mil pessoas até quinta-feira. São 28 mil trabalhadores da saúde no local.

Em Campinas, interior do estado, a vacinação de cinco enfermeiros no Hospital da Unicamp subiu para 517 o total de imunizados contra a doença em São Paulo, primeiro estado do país a iniciar a vacinação.

No domingo (17), horas após a Anvisa aprovar o uso emergencial da CoronaVac, 112 profissionais receberam a vacina. A primeira foi a enfermeira Mônica Calazans, de Itaquera, bairro na zona leste da capital paulista.

A partir de amanhã, a imunização começa nos HC de Ribeirão Preto e Marília e no Hospital de Base de São José do Rio Preto. No total, segundo o governo estadual, cerca de 60 mil profissionais que atuam nesses hospitais serão vacinados.

Vacinação na linha de frente

http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2021/01/18/sao-paulo-ja-imunizou-517-profissionais-de-saude-com-coronavac.htm - Artgur Stabile/UOL - Artgur Stabile/UOL
As enfermeiras Elaine Maria da Cunha, 34, e Carolina Vieira Rodrigues, 23, mostram curativo no braço após tomarem vacina contra covid no Hospital das Clínicas, em São Paulo
Imagem: Artgur Stabile/UOL

Depois da enfermeira Monica Calazans, 54, a primeira pessoa vacinada com a CoronaVac no país, outros profissionais da saúde receberam hoje a primeira aplicação do imunizante contra a covid-19 desenvolvido pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com Instituto Butantan, no Hospital das Clínicas, em São Paulo.

A convocação dos funcionários envolveu quem atua diretamente com doentes desde o início da pandemia. São enfermeiros que se voluntariaram para participar da campanha de vacinação na unidade e vão imunizar outros profissionais da saúde do próprio HC a partir de amanhã (19)

No início do dia, as enfermeiras Elaine Maria da Cunha, 34, e Carolina Vieira Rodrigues, 23, receberam a primeira dose do imunizante.

Elaine definiu como uma "tranquilidade" saber que, de agora em diante, trabalhará já com uma vacina para combater o novo coronavírus. Segundo ela, o importante é a população se conscientizar.

Apesar da vacina, temos que continuar com máscaras, higienização, não podemos descuidar. Temos que continuar com cuidados e acreditando com fé em Deus."
Elaine Maria da Cunha, enfermeira

Ela e Carolina se voluntariaram para aplicar a vacina do Instituto Butantan, aprovada ontem pela Anvisa. O Ministério da Saúde criticou o início da vacinação fora do PNI (Plano Nacional de Imunização) e antecipou a entrega dos 6 milhões de doses adquiridas junto ao Butantan aos estados.

As perdas com a vacina serão menores, agora já sabemos como lidar com a doença. Queríamos que a vacina tivesse vindo antes, tivemos muitos pacientes que se foram".
Carolina Vieira Rodrigues, enfermeira

Solange Fusco, de 58 anos, presidente do comitê de enfermagem do HC, é responsável por organizar a imunização de enfermeiros e técnicos de enfermagem. Definiu esta segunda-feira como o dia mais esperado desde o início da pandemia do novo coronavírus.

Estou desde março trabalhando no comitê de crise da covid. A vacina era uma esperança muito grande. É extremamente gratificante estar aqui."
Solange Fusco, presidente do comitê de enfermagem do HC

Isabel recebe a dose do imunizante, aplicado por Idlândia - Arthur Stabile/UOL - Arthur Stabile/UOL
Isabel recebe a dose do imunizante, aplicado por Idlândia
Imagem: Arthur Stabile/UOL

Idlândia Ferreira, técnica de enfermagem de 44 anos, participou da ação de hoje vacinando seus colegas de profissão no Hospital das Clínicas. Natural de São Sebastião, litoral norte de SP, ela se definiu como privilegiada.

Fiquei extremamente feliz em saber que a vacina estava sendo desenvolvida do meu lado. Nós, profissionais da saúde, somos tão pouco vistos, até menosprezados. Mostramos que somos capazes, que podemos."
Idlândia Ferreira, técnica de enfermagem

A enfermeira foi responsável pela Imunização de Isabel Benevides, técnica de enfermagem moradora de Guarulhos, na Grande São Paulo. Profissional da saúde desde 2007, ela exalta o momento histórico vivido com a chegada da vacina.

Está sendo bem intenso desde o início, mas é gratificante saber que estou fazendo parte do fim dessa pandemia. É necessário, não tem argumento contra. Todos têm que tomar."
Isabel Benevides, técnica de enfermagem

Também hoje teve início a aplicação em cinco hospitais-escola de Campinas, Botucatu, Ribeirão Preto, Marília e São José do Rio Preto, no interior paulista. Essa etapa de vacinação no Estado de São Paulo é focada inicialmente em profissionais de saúde, indígenas e quilombolas. O cronograma original de vacinações do governo paulista previa que idosos acima de 75 anos comecem a ser imunizados a partir de 8 de fevereiro, mas o governo já admitiu que pode haver mudanças.

* Com informações da Agência Estado

Notícias