PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Amostras lunares recuperadas pela China pesam menos do que o esperado

18/01/2021 15h34

PEQUIM (Reuters) - Rochas lunares recuperadas por uma missão histórica chinesa à Lua pesaram menos do que o inicialmente previsto, mas a China ainda está disposta a estudar as amostras com cientistas estrangeiros, disse o porta-voz da missão nesta segunda-feira.

A China se tornou o terceiro país a garantir amostras lunares quando sua sonda não tripulada Chang'e-5, em homenagem à mítica deusa da lua, trouxe 1,731 kg de amostras no mês passado, ficando abaixo dos 2 kg planejado.

A sonda estimava a densidade das rochas lunares em 1,6 grama por milímetro cúbico, com base em dados de missões anteriores de outros países, afirmou Pei Zhaoyu, o porta-voz da missão.

Ao seguir esse dado, a sonda parou de coletar amostras após apenas 12 horas, aparentemente avaliando que a meta havia sido atingida.

"No entanto, a partir dos testes, a densidade real pode não ser tão alta", disse Pei a repórteres. "Planejamos originalmente usar 22 horas para completar o trabalho de amostragem de superfície, mas, na verdade, paramos após 12 horas."

A China, porém, permanece aberta a cooperar com todas as nações no estudo das amostras, segundo ele, incluindo os Estados Unidos.

Durante anos, as leis dos EUA restringiam a cooperação de sua agência espacial Nasa diretamente com a China.

A China não recebeu nenhum pedido de acesso das amostras, disse ele, acrescentando que as rochas ainda estão em estágio de pré-tratamento.

(Reportagem de Martin Quin Pollard)

Notícias