PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Itália tem 17.246 casos e 522 mortes por Covid em 24h

14/01/2021 14h32

ROMA, 14 JAN (ANSA) - A Itália somou 17.246 novos casos e 522 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, informou o Ministério da Saúde nesta quinta-feira (14). Com isso, são 2.336.279 os contágios contabilizados no país desde o início da crise sanitária e 80.848 as vítimas da pandemia.   

Os números desta quinta foram maiores na comparação com a quarta-feira (13), quando foram computados 15.774 contaminados e 507 falecimentos. Os dados maiores foram atingidos mesmo coma a realização menor de testes: foram 160.585 contra 175.429 feitos ontem.   

A média móvel de casos dos últimos sete dias apresentou uma leve queda, pelo segundo dia seguido, e está em 16.562. Já a de óbitos no mesmo período voltou a subir e está em 508 - eram 493 nesta quarta.   

A quantidade de casos positivos apresentou uma queda de 3.394, pelo quarto dia consecutivo, totalizando 561.380 o número de pessoas no país que ainda lutam contra a doença.   

Destes 23.110 estão hospitalizados em diversos departamentos médicos e 2.557 em unidades de terapia intensiva, totalizando 25.667 os internados em todo o território. Os demais, 535.713, estão em isolamento domiciliar. Na comparação com quarta são 22 pessoas a menos nas UTIs e 415 a menos internadas em outros setores.   

Já os casos considerados curados subiram 20.115, elevando para 1.694.051 a quantidade de pessoas recuperadas.   

Nesta quarta-feira, o governo italiano aprovou um novo decreto com as medidas sanitárias a partir do dia 16 de janeiro. Como determinação nacional, haverá a proibição de deslocamentos entre as regiões até 15 de fevereiro, o toque de recolher entre 22h e 5h e limitações de visitas de cidadãos a outras residências. O estado nacional de emergência também foi prorrogado até 30 de abril.   

Além disso, volta o sistema de faixas por risco epidemiológicos regionais - com a introdução da zona branca, a mais branda, para áreas com menos de 50 casos semanais para cada 100 mil habitantes por três semanas consecutivas. (ANSA).   

Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Notícias