PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Prefeitura de Manaus veta Enem em escolas públicas diante de alta da covid

5.jan.2021 - Enterro em Manaus de vítima da covid-19 - Edmar Barros/Futura Press/Estadão Conteúdo
5.jan.2021 - Enterro em Manaus de vítima da covid-19 Imagem: Edmar Barros/Futura Press/Estadão Conteúdo
do UOL

Do UOL, em São Paulo

13/01/2021 14h43Atualizada em 14/01/2021 11h41

A Prefeitura de Manaus decidiu não liberar as escolas municipais para a realização do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). O motivo alegado pelo município é o aumento do número de casos e mortes provocados pelo novo coronavírus.

O Enem será aplicado na versão impressa nos dias 17 e 24 de janeiro e, na versão digital, em 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Segundo a prefeitura, a Secretaria Municipal de Educação enviou ao MPF-AM (Ministério Público Federal do Amazonas) um ofício com os motivos da não liberação. Ontem, o MPF pediu o adiamento das provas à Justiça.

A Prefeitura de Manaus disse que a decisão de não oferecer as unidades de ensino para a aplicação das provas foi tomada após entendimento entre o prefeito David Almeida (Avante), o secretário municipal de Educação, Pauderney Avelino, e os subsecretários do órgão, juntamente com o Departamento de Planejamento da pasta.

"É uma temeridade, sobretudo nesse momento. Hoje é dia 13. A prova será daqui a quatro dias e sabemos que a situação de Manaus em relação à pandemia não vai acalmar até lá. Abrir as escolas para o Enem representa aglomeração na frente e no interior delas. Enviamos as nossas razões ao Ministério Público e também sugerimos que o Enem seja adiado", afirmou o secretário de Educação.

De acordo com a prefeitura, 166 sepultamentos foram registrados ontem em Manaus —110 em cemitérios municipais e 56 em espaços privados. Do total de enterros nos cemitérios públicos, 49 foram declarados como covid-19, e dois casos suspeitos. Já nos espaços privados foram 36 registros de óbitos pelo novo coronavírus.

Enem na Região Metropolitana também está ameaçado

Em entrevista à rede CNN Brasil na tarde de hoje, o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), disse que informou o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) e o MEC (Ministério da Educação) de que não haveria condições de fornecer escolas da capital e região metropolitana para a realização do Enem.

Segundo o governador, apenas nos municípios do interior do estado, onde a situação é menos grave, haveria condições utilizar a rede de escolas públicas para a aplicação das provas.

"Não temos condições de ceder escolas [públicas], considerando aumento significativo de casos de covid", afirmou. "Até o final do dia teremos um documento oficial sobre a realização do Enem no estado do Amazonas."

Inep acredita que Enem possa ser aplicado

Também em entrevista à CNN Brasil, o presidente do Inep, Alexandre Ribeiro Pereira Lopes, disse que acompanha a situação da covid-19 em Manaus e no Amazonas, mas que acredita que o Enem possa ser aplicado com segurança.

"Estamos conversando com a prefeitura e o governo, então não há uma definição específica em relação à cidade de Manaus. Ainda existe um processo de discussão e a gente vai acompanhando isso até o dia da aplicação e vamos comunicar os participantes de qualquer decisão", declarou.

Notícias