PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Ford 'foge' do Brasil e de Bolsonaro, gerando desemprego, dizem sindicatos

Trabalhadores enfrentaram chuva para protestar na sede da Ford em Camaçari, na Bahia, hoje - Divulgação/Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari
Trabalhadores enfrentaram chuva para protestar na sede da Ford em Camaçari, na Bahia, hoje Imagem: Divulgação/Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari
do UOL

Do UOL, em São Paulo

12/01/2021 17h02

A CUT (Central Única dos Trabalhadores), a IndustriALL-Brasil e a Força Sindical disseram hoje, em nota conjunta, que a Ford, que anunciou ontem o fechamento de suas fábricas no Brasil, "'foge' do Brasil e de Bolsonaro", "deixando um rastro de desemprego e desamparo".

"A ação da empresa global é consequência da completa ausência de um projeto de retomada da economia brasileira, que contemple a reindustrialização do país", disseram na nota os sindicatos, que chamaram o governo federal de "despreparado e inepto".

A Ford 'foge' do Brasil deixando um rastro de desemprego e desamparo, após ter se valido durante muitos anos de benefícios e isenções tributárias dos regimes automotivos vigentes desde 2001" CUT, IndustriaALL-Brasil e Força Sindical

Para os sindicatos, "o desgoverno afunda ainda mais nossa população no roteiro de precarização, desemprego, desalento e pobreza". "O desastre na condução da economia se casa e se completa, tragicamente, com a crise sanitária (pandemia do novo coronavírus", disseram.

Pegos de surpresa

Ontem, chamando o anúncio de "porrada", o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari (BA), Júlio Bonfim, disse que "nunca imaginaria" um fechamento total das fábricas da Ford no Brasil.

Já presidente da Força Sindical, Miguel Torres, que assina a nota com a CUT e a IndustriALL-Brasil, disse que a Ford não teve diálogo com os trabalhadores e demonstrou "total falta de sensibilidade social".

Hoje, em Taubaté (SP) e em Camaçari, trabalhadores protestaram; na Bahia, a manifestação ocorreu mesmo sob chuva.

Notícias