PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Casal suspeito de participar de roubo a banco em Criciúma é preso em SP

Casal suspeito de envolvimento no assalto a banco em Criciúma foi preso em Campinas (SP) - Reprodução/TV Globo
Casal suspeito de envolvimento no assalto a banco em Criciúma foi preso em Campinas (SP) Imagem: Reprodução/TV Globo
do UOL

Do UOL, em São Paulo

04/12/2020 08h23Atualizada em 04/12/2020 12h21

Um casal suspeito de participar do assalto a agências bancárias em Criciúma (SC) na última terça-feira (1º) foi preso ontem em Campinas (SP). Agora, são 11 os detidos por suposta participação no crime.

Segundo a SSP (Secretaria de Segurança Pública) paulista, o homem teria abastecido um dos veículos usados no roubo. Na casa dele, os agentes apreenderam munições de calibre .38 e 99mm, uma carteira de identificação da Polícia Civil, uniformes e mandados de prisão falsos.

Um terceiro suspeito, indicado pelo casal, é procurado. Na casa dele, os policiais apreenderam uma bisnaga com artefato explosivo, um carregador de fuzil com 10 munições. O Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais) foi acionado para desativar o explosivo.

O caso foi apresentado ao DEIC (Departamento Estadual de Investigações Criminais).

"General" do PCC está entre presos

A Polícia do Rio Grande do Sul prendeu Márcio Geraldo Alves Ferreira, 34 anos, o Buda, um dos generais do PCC (Primeiro Comando da Capital), acusado de participar do assalto.

A prisão dele em Gramado (RS) é o primeiro elo revelado entre a operação da quadrilha em Santa Catarina e a facção criminosa originada em São Paulo, conforme mostrou o colunista do UOL Josmar Jozino.

Segundo a Polícia Civil de São Paulo, além de Buda também foi preso Francisco Aurílio Silva de Melo, conhecido como XT. O integrante do PCC foi acusado de tentar matar o delegado Rui Ferraz Fontes, hoje delegado-geral da Polícia Civil paulista. Na época, Fontes era titular do 69º DP (Teotônio Vilela), jurado de morte pelo crime organizado.

Notícias