PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Ex-detento vira barbeiro profissional e terá formatura sob viaduto em BH

Júlio César Vieira da Silva, 48 anos, ficou preso durante 10 anos por tráfico de drogas; na prisão, decidiu virar a página - Acervo pessoal
Júlio César Vieira da Silva, 48 anos, ficou preso durante 10 anos por tráfico de drogas; na prisão, decidiu virar a página Imagem: Acervo pessoal
do UOL

Elisângela Baptista

Colaboração para o UOL, em Juiz de Fora (MG)

30/11/2020 15h02

"Aqui, quem chega feio sai bonito. Quem pode, fortalece, e quem não pode, agradece."

É com esse alto astral que Júlio César Vieira da Silva, 48 anos, começa a reescrever sua história. Depois de cumprir 10 anos de prisão por tráfico de drogas, ele montou uma barbearia debaixo de viaduto da avenida Francisco Sales, no bairro Floresta, região leste de Belo Horizonte.

Hoje, Júlio atende em média dez pessoas por dia para cortar o cabelo e fazer a barba. O pagamento fica a critério do freguês, mas ele confessa que já começa a fazer um "pezinho de meia". O salão improvisado é motivo de muito orgulho.

"Quando me perguntam 'você não vai montar um salão?', eu respondo: 'ué, o salão já está montado e bem bonitinho'", brinca.

A trajetória de Júlio, no entanto, não foi nada fácil. O envolvimento com as drogas começou há 27 anos e as consequências foram o abandono da escola, a perda da casa, da família, da dignidade e a prisão, explica o aspirante a barbeiro.

Para virar a página, Júlio conta que aproveitou todas as oportunidades dentro da cadeia: estudou e aprendeu o ofício de barbearia. Quando saiu, foi buscar ajuda para tentar se inserir à sociedade.

"Eu fui auxiliado pelo Programa de Inclusão Social de Egressos do Sistema Prisional (Presp) e consegui uma bolsa para fazer um curso de três meses em uma barbearia. Foi quando conheci o Keko Boladão, depois disso minha vida começou a mudar", emociona-se.

Keko foi o mestre de Júlio e disse que ficou impressionado com a habilidade dele. "Ele é muito talentoso e muito rapidamente foi se adaptando às tesouras, máquinas e navalhas. Com os materiais adequados, ele foi evoluindo e hoje é respeitado pela comunidade. A parceria transformou-se em amizade e a admiração é recíproca", disse o professor.

Depois de três meses de curso, Júlio terá um grande dia amanhã: receberá o certificado com direito à festa com bolo e salgadinho debaixo do viaduto, e passará de ex-detento a barbeiro profissional.

"Estou muito feliz com tudo isso que está acontecendo. Agora, sigo para realizar o meu grande sonho: resgatar o amor e o respeito do meu filho, que hoje tem 26 anos — e, quem sabe, um dia pode ter orgulho de mim", conclui.

Notícias