PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Reino Unido anuncia novas restrições após fim do lockdown para tentar conter segunda onda de covid-19

Primeiro-ministro Boris Johnson anunciou novas medidas para tentar conter aumento de casos - PA Media
Primeiro-ministro Boris Johnson anunciou novas medidas para tentar conter aumento de casos Imagem: PA Media

26/11/2020 20h44

O Reino Unido sai na próxima semana de um novo lockdown, mas, diante do aumento de casos de covid-19 no país, não entra em um período de flexibilização das medidas de distanciamento social.

Nesta quinta-feira (26/11), o primeiro-ministro do país, Boris Johnson, anunciou que algumas regiões ainda terão de seguir restrições mais rígidas à circulação de pessoas para tentar conter a segunda onda da pandemia e evitar uma sobrecarga no sistema de saúde.

O Reino Unido é o quinto país com maior número de mortes pela doença causada pelo novo coronavírus. São mais de 56 mil, total superado apenas pelas cifras de Estados Unidos, Brasil, Índia e México.

A curva de óbitos chegou a arrefecer no país, mas, passado um período de queda, eles voltaram a crescer em outubro, assim como o volume de casos. O novo lockdown nacional fora decretado em novembro.

O sistema que entra em vigor no próximo dia 2 de dezembro estabelece três níveis diferentes de restrições, que serão reavaliados para cada região a cada duas semanas.

Mais de um terço da população da Inglaterra se encontra em áreas que serão submetidas a medidas mais duras, que inclui a proibição de reuniões de pessoas além daquelas que dividem um mesmo domicílio.

No total, cerca de 23 cidadãos de pessoas em 21 áreas estarão sob as regras do nível três ? incluindo Birmingham, Leeds e Sheffield.

Cidades como Londres e Liverpool se encaixarão no nível dois, enquanto Ilha de Wight, Cornualha e Ilhas de Scilly ? onde não houve nenhum caso de covid-19 registrado na semana passada ? serão as únicas áreas da Inglaterra no nível um.

O primeiro-ministro argumentou que as novas restrições são necessárias para manter a doença sob controle e alertou que suavizar as medidas pode criar um risco de "perda do controle" da covid-19.

"Isso pode enfraquecer nossos ganhos duramente conquistados e nos forçar a voltar a um lockdown nacional no Ano Novo", afirmou.

As medidas têm como objetivo reduzir o número de reprodução do vírus, conhecido como Rt — que sinaliza, na prática, a quantas pessoas um indivíduo infectado é capaz de transmitir a doença.

Quando o número está acima de 1, a doença se propaga exponencialmente; abaixo desse patamar, o total de infectados tende a diminuir com o tempo, já que, nessa situação, uma pessoa não consegue contaminar mais de uma.

O premiê anunciou ainda o reforço da testagem nas áreas sob o nível três de restrições, atribuindo essa estratégia à abordagem bem-sucedida adotada em Liverpool, que estará sob o nível dois.

Questionado por jornalistas, Johnson afirmou que as novas medidas não configurariam uma continuação do lockdown.

"Em todos os níveis, lojas estarão abertas, cabeleireiros, serviços pessoais estarão abertos, academias estarão funcionando, locais de culto estarão abertos para também, então isso é uma coisa muito diferente", disse ele.

"E estou convencido de que em abril as coisas realmente vão estar muito, muito melhores", acrescentou.

Notícias