PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Médicos retiram moeda inserida há 53 anos em nariz de russo

Moeda com o valor de 1 copeque foi encontrada "fossilizada", após passar 53 anos no organismo do paciente - Reprodução/Twitter/@mkomsomolets
Moeda com o valor de 1 copeque foi encontrada "fossilizada", após passar 53 anos no organismo do paciente Imagem: Reprodução/Twitter/@mkomsomolets
do UOL

Colaboração para o UOL, em São Paulo

25/11/2020 12h11

Sem conseguir respirar normalmente já por alguns meses, um russo de 59 anos surpreendeu os médicos de um hospital em Moscou na sexta-feira (20). Após exames de imagem, a equipe médica constatou que havia um objeto no nariz do paciente. O que eles não esperavam, no entanto, é que o objeto em questão não era um simples grão de arroz, mas uma moeda que estava no organismo do homem há 53 anos.

De acordo com um comunicado oficial publicado no site do Departamento de Saúde de Moscou, e divulgado pelo site Ouest-France, o homem de 59 anos vinha sofrendo um desconforto respiratório no lado direito do nariz há vários meses. Tendo decidido acabar com isso de uma vez por todas, ele foi para o hospital de Zelenogrado, um distrito de Moscou.

Acompanhado por uma equipe de otorrinolaringologistas, o homem submeteu-se então a toda uma bateria de exames que detectaram um desvio de suas estruturas nasais e a presença de "um corpo estranho, denso e redondo", na narina direita dele.

Em um primeiro instante, os cirurgiões não sabiam o que era exatamente o objeto "fossilizado" no nariz do paciente. Mas não demorou muito para ele se lembrar que quando tinha 6 anos, há mais de meio século, ele mesmo havia espetado uma moeda no nariz.

O homem, que preferiu se manter anônimo, contou aos médicos que a moeda, com valor de 1 copeque, foi inserida por ele mesmo, durante uma brincadeira. Como na época ele tinha medo de contar a "arte" para a mãe, que era bastante severa, o menino acabou ficando calado e nem pensava mais na história.

A moeda, para sorte do menino, só começou a causar problemas na vida adulta. Após passar 53 anos no organismo do russo, o objeto causou uma infecção, que não só o fazia sentir dores nasais como também causava um desvio de septo em seu nariz e dificultava a respiração.

Felizmente, a história terminou bem para o moscovita. Após uma cirurgia de 1h30 realizada por uma equipe de especialistas, o paciente escapou sem sequelas e com o septo nasal restaurado ao eixo.

"Nós o operamos na sexta-feira sob anestesia geral e na segunda-feira ele teve alta", disse um dos cirurgiões. Apesar do sucesso, segundo os relatos o homem não seguiu as recomendações dos médicos e retirou rapidamente os curativos colocados em suas narinas, importantes para firmar a estrutura do nariz.

Notícias