PUBLICIDADE
Topo

Notícias

'Não baixem a guarda', pede UE a membros do bloco sobre pandemia

25/11/2020 08h21

Bruxelas, 25 Nov 2020 (AFP) - Os países europeus não devem flexibilizar prematuramente as restrições para conter o coronavírus - alertou a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, nesta quarta-feira (25), diante do risco de uma terceira onda da pandemia.

Vários países do bloco começaram a suavizar as medidas, de forma gradual, incluindo a orientação de ficar em casa, à medida que se aproximam as férias de fim de ano, no inverno boreal (verão no Brasil).

"Devemos aprender com o verão [hemisfério norte], e não repetir os mesmos erros, relaxando rápido demais", disse Von der Leyen aos membros do Parlamento Europeu.

O presidente da França, Emmanuel Macron, anunciou na terça-feira à noite que as lojas poderão reabrir no sábado e que a ordem de permanecer em casa, em todo país, será suspensa a partir de 15 de dezembro. Já o toque de recolher noturno permanecerá em vigor.

Enquanto isso, 16 estados alemães acertaram diretrizes para o Natal, notavelmente menos rigorosas do que as propostas para o resto de dezembro, mesmo com o número de casos de covid-19 se aproximando de um milhão.

Os líderes regionais concordaram em limitar as reuniões a dez pessoas no feriado de 23 de dezembro a 1º de janeiro, o dobro do limite para o resto de dezembro.

Publicado no início desta semana, o último boletim do Centro Europeu para Prevenção e Controle de Doenças classificou a maioria dos países da União Europeia, incluindo França e Alemanha, como áreas de "grave preocupação".

"Relaxar rápido demais e de forma muito ampla é um risco para uma terceira onda depois do Natal", insistiu Von der Leyen.

"Há semanas, disse que este Natal será diferente. E sim, será mais tranquilo", acrescentou.

arp/ahg/zm/tt

Notícias