PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Governo alemão propõe data para eleições gerais, as primeiras sem Merkel

Governo alemão propõe data para eleições gerais, as primeiras sem Merkel - Shutterstock
Governo alemão propõe data para eleições gerais, as primeiras sem Merkel Imagem: Shutterstock

25/11/2020 16h33

Berlim, 25 nov (EFE).- O governo da Alemanha propôs ao presidente do país, Frank-Walter Steinmeier, a data de 26 de setembro de 2021 para a realização das próximas eleições gerais, as primeiras nas quais Angela Merkel não concorrerá desde 2005.

A vice-porta-voz do governo, Martina Fietz, anunciou hoje a proposta, que foi idealizada em consenso com os poderes regionais pelo ministro do Interior, Horst Seehofer, para evitar eventuais problemas con calendários de férias e feriados nas diferentes partes do país.

Fietz lembrou que caberá agora a Steinmeier convocar as eleições; a chanceler Angela Merkel anunciou em 2018 que não se candidataria à reeleição no final do atual mandato, o quarto desde que ela se tornou chanceler, há 15 anos.

As eleições gerais na Alemanha são realizadas a cada quatro anos, a menos que sejam convocadas em uma data anterior. Neste caso, trata-se da convocação regular ao final do período de quatro anos.

Até agora, somente o cogovernante Partido Social-Democrata (SPD) definiu seu candidato à Chancelaria, o atual vice-chanceler e ministro das Finanças, Olaf Scholz.

CANDIDATURAS PENDENTES DE DEFINIÇÃO

O bloco conservador está pendente da definição de sua candidatura, um assunto a ser decidido por consenso entre a União Democrata-Cristã (CDU), de Merkel, e a União Social-Cristã (CSU).

A CDU tem pendente a eleição de sua nova presidência, para a qual há três candidatos oficiais - o primeiro-ministro da Renânia do Norte-Vestfália, Armin Laschet, leal à linha de Merkel, e Friedrich Merz e Norbert Röttgen, ambos rivais históricos da chanceler.

A questão deveria ser decidida em um congresso, que deveria ocorrer em abril, mas foi cancelada devido à primeira onda da pandemia de Covid-19. O próximo congresso, marcado para dezembro, também foi adiado por causa das restrições e agora foi remarcado para o início de 2021.

Além dos três candidatos da CDU, também há o líder da CSU e primeiro-ministro bávaro, Markus Söder, que está à frente dos três representantes do partido matriz em termos de popularidade.

Os outros partidos parlamentares - Alternativa para a Alemanha (AfD, de extrema direita), os Verdes, a Esquerda e o Partido Democrático Liberal - também esperam que seus respectivos congressos sejam realizados, seja virtualmente ou pessoalmente.

Notícias