PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Peru promete investigar morte de dois jovens em manifestações

22/11/2020 15h17

Lima, 22 Nov 2020 (AFP) - O ministro do Interior do Peru, Rubén Vargas, disse neste domingo (22) que será realizada uma investigação após a morte de dois jovens devido à repressão policial nos protestos que derrubaram o efêmero governo anterior.

"Demos instruções para que sejam realizadas investigações contra os generais denunciados e responsáveis pelas operações nesses fatos que lamentamos", disse Vargas em coletiva de imprensa, sem especificar o número de investigados.

O ministro se reuniu com as famílias dos dois jovens que morreram com o impacto dos projéteis durante a repressão policial de oito dias atrás nas ruas de Lima.

A Procuradoria iniciou esta semana uma investigação criminal preliminar contra o ex-presidente Manuel Merino e dois de seus ministros, que pode chegar a outros funcionários e à polícia, pela violenta repressão da semana passada.

Vargas destacou que essas investigações "resultarão nas correspondentes responsabilidades penais, que serão cumpridas integralmente".

As mortes e feridos ocorreram em uma manifestação massiva, violentamente reprimida com gás lacrimogêneo e balas de borracha pela polícia.

A crise foi desencadeada em 9 de novembro pelo Congresso, que destituiu Martín Vizcarra, um presidente popular de centro-direita, e o substituiu por Merino, também de centro-direita.

A repressão aos manifestantes aumentou a indignação contra Merino e, no sábado, quase todos os seus ministros renunciaram e seus aliados no Congresso o deixaram.

No domingo, o impopular presidente se afastou após pedido do Congresso, que na segunda-feira elegeu o deputado centrista Francisco Sagasti como o novo presidente, que deve governar até 28 de julho de 2021.

Sagasti, que votou contra a destituição de Vizcarra, assumiu o cargo na terça-feira, restaurando a calma no país e nos mercados.

cm/rsr/ic/am

Notícias