PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Testes rápidos antigênicos para Covid-19 fazem sucesso nas farmácias de Paris

30/10/2020 15h14

Autorizados recentemente pelo governo francês, os novos testes rápidos para a Covid-19 vêm sendo vendidos com sucesso nas farmácias de Paris, que monitoram de perto os estoques. A ideia é diminuir a ansiedade e o stress da população francesa recém-confinada, com testes rápidos que funcionam como os de gravidez: "uma barra, negativo; duas barras, positivo, o resultado é dado em 20 minutos", explica a farmacêutica.

Autorizados recentemente pelo governo francês, os novos testes rápidos para a Covid-19 vêm sendo vendidos com sucesso nas farmácias de Paris, que monitoram de perto os estoques. A ideia é diminuir a ansiedade e o stress da população francesa recém-confinada, com testes rápidos que funcionam como os de gravidez: "uma barra, negativo; duas barras, positivo, o resultado é dado em 20 minutos", explica a farmacêutica.

A dois passos da estação de Sant-Lazare, em um canto de sua vasta farmácia, Rose Piednoel realiza testes antigênicos de Covid-19 desde quarta-feira (28) em um galpão apertado, entre uma geladeira e uma pia.

Equipada da cabeça aos pés - blusa azul, óculos de proteção, máscara FFP2 e luvas de látex - a assistente de farmácia parece já estar acostumada a fazer os mesmos movimentos: enfiar o cotonete em cada narina, mergulhar em um reagente químico, colocar algumas gotas na bolha e esperar.

 O teste antigênico detecta as proteínas que o vírus Sars-CoV-2 produz, chamadas de "antígenos", e busca determinar se a pessoa está infectada com o vírus no momento do teste, e fornece resultados diferentes do PCR (coletado no nariz) e o sorológico (realizado através de exame de sangue). O resultado fica pronto em 20 minutos. 

"Normalmente, uma consulta médica é obrigatória", mas a farmácia em Paris também atende o posto de saúde instalado na calçada em frente, onde a fila, às vezes, fica mais longa. "Como eles têm atrasos maiores, eles encaminham alguns pacientes para nós", acrescenta a farmacêutica.

Este é o caso precisamente de Rosemyre Gustave, 56, que deve retornar à Martinica no domingo , após uma curta estada na França para exames médicos. "O centro médico me disse que seria muito em cima da hora da viagem, então fui à farmácia esta manhã e eles conseguiram uma brecha no atendimento para mim", diz ela, aliviada por sair com um resultado negativo para a Covid-19.

Testes antigênicos reembolsados pela Seguridade Social na França

Marie-Noelle Nkodo, uma empregada doméstica de 54 anos, também quer ser tranquilizada. "Não tenho sintomas, nem viagem planejada, mas é normal fazer exame, tem que fazer regularmente", diz ela. Mesmo que ela cuide de uma pessoa idosa, o exame "é primeiro para mim, é a minha saúde primeiro", acrescenta.

Depois de ter vindo na véspera para tentar a sorte e conseguir uma brecha no posto de saúde, ela acabou procurando a farmácia: "perguntei se estavam fazendo algum exame, marquei imediatamente".

Para o farmacêutico Eric Myon, chefe desta farmácia parisiense, esses primeiros dias validam sua escolha em oferecer testes antigênicos. "É crucial ser capaz de orientar os pacientes rapidamente e responder às suas preocupações", disse ele.

Os testes antigênicos custam € 34 (cerca de R$ 228) reembolsados pela Seguridade Social da França, e são gratuitos se os pacientes possuem receita médica. Os testes rápidos ainda não estão totalmente disponíveis para todos os farmacêuticos franceses.

"Esses produtos não são distribuídos pelos nossos atacadistas, então é preciso ter tempo para encontrar fornecedores e garantir que eles tenham estoque para garantir a continuidade do serviço", principalmente para aqueles que são "obrigados a continuar a trabalhar, como profissionais de saúde ou certos comerciantes essenciais ".

A calmaria provocada pelo novo lockdown "vai nos permitir preparar o futuro", diz Myon. "A ideia é que a partir do final do próximo mês estejamos equipados com sistemas de informação para dar prosseguimento aos testes antigênicos", completa.

Com informações da AFP

Notícias