PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Itália reconstrói passos de terrorista de Nice

30/10/2020 17h22

ROMA, 30 OUT (ANSA) - Os serviços de inteligência e contraterrorismo da Itália reconstruíram os passos do tunisiano Brahim Aoussaoui, 21 anos, autor do ataque na Basílica de Notre-Dame de Nice, na França, informaram as autoridades nesta sexta-feira (30).   

De acordo com os dados obtidos graças ao cruzamento de informações recebidas da França e da Tunísia, o terrorista, que matou três pessoas, incluindo uma brasileira, chegou à Europa através de um barco de migrantes que desembarcou na ilha italiana de Lampedusa, em 20 de setembro.   

Após cumprir um período de isolamento por conta da pandemia de Covid-19, ele foi registrado no centro de migrantes de Bari no dia 9 de outubro. De lá, o tunisiano não partiu para a França, conforme informações preliminares, mas foi para a Sicília.   

No território siciliano, Aoussaoui passou 15 dias hospedado na casa de "conhecidos" e durante sua estadia não participou de reuniões radicais e nem se manifestou com atitudes extremistas, segundo o serviço de inteligência italiano.   

"Se ele tivesse chegado com ideias violentas, poderia ter atacado facilmente na Itália", disse uma fonte ouvida pelo Ministério Público de Palermo, que está investigando os contatos feitos pelo jovem.   

O inquérito é coordenado pelo promotor Francesco Lo Voi e pela adjunta Marzia Sabella, que já conseguiram registros telefônicos e ouviram algumas testemunhas. A principal hipótese é de que o tunisiano cruzou a fronteira para a França em Ventimiglia. A data, no entanto, ainda é incerta, mas deve ter sido em 9 de outubro. As autoridades estão verificando também com quais pessoas a bordo da embarcação de migrantes ele teve contato. Além disso, 23 pessoas que fizeram a travessia da Tunísia para a Itália, junto com Aoussaoui, são investigadas.   

Hoje, a Procuradoria de Bari, na Itália, anunciou também a abertura de uma investigação formal por associação terrorista contra Aoussaoui.   

Enquanto isso, a ministra do Interior da Itália, Luciana Lamorgese, rebateu as críticas da oposição, que pediu sua demissão por causa do terrorista ter chegado à Europa entre os migrantes que desembarcam na ilha de Lampedusa.   

"Este é o momento de acabar com a polêmica e de estar perto do povo francês e de outros países europeus", indicou a ministra, que foi alvo de críticas do ex-ministro do Interior Matteo Salvini, famoso por sua política contra migrantes.   

Ataque detalhado - Segundo Jean-François Ricard, procurador francês antiterrorismo, o agressor foi filmado entrando na estação da cidade, na costa sul da França, às 6h47, desta quinta-feira (29). Ele carregava uma sacola onde levava uma cópia do Corão - livro sagrado muçulmano-, dois telefones e três facas com lâminas de 17 cm.   

Logo depois, antes das 8h30, ele entrou na Basílica de Notre-Dame de Nice e atacou as três vítimas em cerca de 25 minutos.   

A brasileira, identificada como Simone Barreto da Silva, de 44 anos, conseguiu pedir socorro fora da igreja, mesmo após ter sido esfaqueada no pescoço. A polícia francesa chegou no local às 8h57 e atingiu o terrorista na perna, no peito e no ombro.   

Ontem (29), um homem de 47 anos, suspeito de ter tido contato com o terrorista, foi detido, segundo fontes judiciais.   

Aoussaoui, por sua vez, continua internado depois de ser submetido a uma cirurgia após ser baleado pela polícia. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Notícias