PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Secretaria do Rio confirma 5ª morte após incêndio em hospital de Bonsucesso

Incêndio atingiu o Hospital Federal de Bonsucesso, na zona norte do Rio de Janeiro, na terça (27) - Fernando Salles/AM Press & Images/Estadão Conteúdo
Incêndio atingiu o Hospital Federal de Bonsucesso, na zona norte do Rio de Janeiro, na terça (27) Imagem: Fernando Salles/AM Press & Images/Estadão Conteúdo
do UOL

Do UOL, em São Paulo

30/10/2020 20h36

A secretaria municipal do Rio de Janeiro confirmou, na noite de hoje, a morte de mais um paciente que estava internado no Hospital Federal de Bonsucesso e foi transferido após o incêndio que ocorreu na terça-feira (27). Já são cinco mortos após a ocorrência.

Segundo a pasta, o paciente era um homem idoso de 70 anos "com diversas comorbidades, incluindo cardiopatia grave e insuficiência renal, com histórico recente de parada cardiorrespiratória durante procedimento cardiológico de alta complexidade".

Em nota ao UOL, a secretaria afirmou que ele estava internado e intubado no CTI (Centro de Terapia Intensiva) com quadro de covid-19; ele foi transferido na própria terça para o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla.

Hospital vai reabrir

O Ministério da Saúde divulgou que o hospital será reaberto parcialmente a partir da próxima semana. O prédio 1, atingido pelas chamas, foi interditado pela Defesa Civil do Município — os outros cinco edifícios que compõem o restante do complexo hospitalar tiveram a energia desligada, embora não tenham sido afetados pelo incêndio.

"Na próxima quarta-feira (4), os prédios 3, 4, 5 e 6 do hospital retomam suas atividades. Terão continuidade as consultas ambulatoriais, sessões de quimioterapia, entrega de medicamentos oncológicos, realização de exames laboratoriais e retirada de resultados e doação de sangue. Emergências, cirurgias, internações, hemodiálise e exames de imagens, que funcionavam no prédio afetado, permanecem suspensos temporariamente até a conclusão dos reparos necessários", disse o ministério em nota.

A apuração dos fatos que levaram ao incêndio segue em andamento, com perícia a cargo da PF (Polícia Federal). O Ministério da Saúde informou que vai verificar a necessidade orçamentária extra para apoiar as soluções e obras para o restabelecimento pleno do prédio e das estruturas afetadas.

Segundo o ministério, o Centro de Atenção à Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente, localizado no prédio 2 do complexo hospitalar, passará por avaliação técnica para o retorno dos atendimentos. Quatro pessoas morreram, após serem transferidas às pressas durante o incêndio.

* Com informações da Agência Brasil

Notícias