PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Disparam na Itália as vendas de suplemento para bebês que fortalece sistema imunológico

30/10/2020 16h57

As farmácias italianas registraram um aumento incomum nas vendas de um suplemento nutricional que fortalece o sistema imunológico dos bebês, após o lançamento de um vídeo que afirma que o produto protegeria a população contra o novo coronavírus.

As farmácias italianas registraram um aumento incomum nas vendas de um suplemento nutricional que fortalece o sistema imunológico dos bebês, após o lançamento de um vídeo que afirma que o produto protegeria a população contra o novo coronavírus.

A lactoferrina, uma proteína encontrada em altas concentrações no leite materno, foi objeto de um ensaio clínico em Roma e, de acordo com os organizadores do experimento, os resultados foram positivos contra o novo coronavírus, mas ainda não foram confirmados por novas pesquisas da comunidade científica.

O anúncio desencadeou um aumento notável nas vendas do produto, segundo vários farmacêuticos do centro de Roma. "Não sabemos realmente nada sobre o produto", confessou um dos farmacêuticos, que pediu anonimato. "Quando as pessoas estão com medo, estão dispostas a acreditar em qualquer coisa", disse.

O sucesso da lactoferrina se deve a uma reportagem jornalística feita em julho passado, na qual Elena Campione, professora de dermatologia da Universidade Romana de Tor Vergata, e uma das organizadoras do ensaio clínico, descreveu os bons resultados.

"Decidimos tratar alguns pacientes com resultado positivo para Covid-19, mas que estavam no estágio inicial da doença", disse ela. "Foi incrível, porque 10 dias após o início da terapia, os sintomas desapareceram e o teste de PCR (para o coronavírus) deu negativo", disse ela.

As declarações viralizaram nas redes sociais, razão pela qual o vídeo foi removido.

Sem provas científicas

"Não há evidências científicas de que o suplemento seja útil para a prevenção e tratamento da Covid-19", disse o professor Roberto Burione, especialista em virologia e diretor do site "Medical Facts".

Em algumas farmácias da Itália, foram registradas vendas de até 100 caixas do produto em uma semana. "Antes, eles pediam conselhos para fortalecer o sistema imunológico, agora eles pedem esse produto diretamente", disse um dos funcionários. "É como uma psicose", comentou.

O produto é vendido principalmente como suplemento para bebês e é comercializado pela empresa fabricante sob o nome "CovAlt". A empresa também fabrica géis para as mãos e substâncias associadas ao combate ao vírus.

Lactoferrina vira moda também na Espanha

O uso da lactoferrina para promover as defesas naturais, para que o corpo possa enfrentar a invasão de vírus, também virou moda na Espanha. As autoridades sanitárias espanholas tiveram que ordenar a um médico em Valência que parasse de aconselhar produtos à base de lactoferrina, uma vez que os estudos não são apoiados cientificamente.

Gabriel Serrano, diretor da Clínica Dermatológica Serrano de Valência e presidente da Sesderma, continua convencido de que o uso de lactoferrina por via oral, nasal e tópica, junto com medidas que promovam a circulação do ar, auxilia na prevenção e no cuidado da infecção por Covid-19. O médico corre o risco de graves penalidades da autoridade regional de saúde por suas atividades.

O Laboratorio della Farmacia, que fabrica o produto na Itália com o nome CovAlt, e o Ministério da Saúde, consultado pela agência AFP, não quiseram comentar o assunto.

A Itália, primeiro país da Europa atingido pela pandemia, registrou mais de 38.000 mortes por coronavírus e teme um novo surto com o aumento exorbitante de infecções na última semana.

Notícias