PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Selic baixa e rentabilidade negativa? Saiba "garimpar ouro" na renda fixa

César Esperandio

César Esperandio

César Esperandio é economista com ênfase em planejamento financeiro, com larga experiência no mercado financeiro. Já atuou em setores macroeconômicos de bancos e consultorias, além de ter passado por empresa de pesquisas de mercado. Hoje se dedica exclusivamente ao Econoweek, com foco em investimentos.

do UOL

29/10/2020 04h00

Selic no menor nível da história: com os juros tão baixos, muita gente tem notado que alguns títulos de renda fixa estão apresentando rentabilidade negativa.

Eu sou César Esperandio, economista do Econoweek, a tradução da economia. Agora, vou mostrar como isso acontece, o que fazer para evitar essa situação e apresentar diversas opções de títulos de renda fixa mais rentáveis para quem divulga a desinformação dizendo que "a renda fixa morreu".

Já adianto: ela continua muito viva e com ótimas aplicações para quem entende o funcionamento desse mercado.

No vídeo acima, trouxe o especialista em renda fixa e CEO da MatchMoney, Elysio Xavier, para contribuir nesse debate ao vivo entre nós e os #Econoweekers. Você também pode enviar uma pergunta e dar a sua opinião por lá!

Vamos às principais perguntas:

Por que meu investimento está com rentabilidade negativa?

Em todos os títulos de renda fixa há uma data de vencimento, mesmo naqueles que garantem liquidez diária (possibilidade de resgate a qualquer momento).

Nessa data, necessariamente o acordo será encerrado e seu dinheiro será devolvido com o rendimento combinado.

Caso você queira sacar seu dinheiro antes disso, estará sujeito à chamada "marcação de mercado", tendo que encontrar um comprador para seu título, que em alguns casos pode ser o próprio emissor do título (o que não costuma ser um problema).

Se você tem um investimento de renda fixa, seja um título ou um fundo, deve ter percebido que há uma variação (normalmente diária) do valor do seu investimento, que muitas vezes não tem a ver com a rentabilidade combinada no momento da aplicação.

Isso ocorre, resumidamente, porque há negociações de compra e venda de títulos de renda fixa acontecendo o tempo todo, entre todas as pessoas que decidiram ter o dinheiro de volta antes do vencimento e outras interessadas em comprá-los.

Nesses casos, a lei da oferta e demanda agem e os preços praticados para a transferência desse título são livres, podendo subir ou cair.

É por isso que se consultar na tela da sua corretora o valor do seu investimento de renda fixa, pode perceber uma diminuição do valor do seu investimento ou uma valorização acima da esperada para o período. Isso significa que, naquele dia, as pessoas estão dispostas a pagar um valor menor ou maior por ele.

Caso você não o venda antes do prazo, no dia do vencimento, receberá exatamente o valor combinado no dia da aplicação. De modo que o valor que vê antes disso corresponde a quanto você teria de dinheiro caso desejasse resgatar antes do prazo combinado.

Quais são as opções mais rentáveis da renda fixa?

Como você já deve saber, o rendimento do título do Tesouro Direto mais popular não está mais tão alto como antes.

Hoje, ao investir no Tesouro Selic, terá rentabilidade ao redor de 2% ao ano, o nível da Selic decidida pelo Banco Central.

Mas não são só essas as opções no Tesouro Direto e tampouco a renda fixa se limita aos títulos públicos. Vamos a alguns dos títulos mais rentáveis disponíveis atualmente:

Tesouro Prefixado

Além do Tesouro Selic, no Tesouro Direto, ainda há o Tesouro Prefixado, que não são adequados para a reserva de segurança, mas, caso você já esteja com ela "em dia", pode diversificar em busca de melhores rendimentos.

Quando escrevi esse artigo, havia títulos com retorno entre 5% e 8% ao ano, com vencimento a partir de 2023. É bastante coisa, principalmente ao nos lembrarmos que os títulos do Tesouro são considerados os mais seguros do Brasil.

No final desse artigo, vou mostrar onde encontro cada uma das oportunidades de investimentos que estou mencionando por aqui.

Tesouro IPCA+

Outra opção é o título Tesouro IPCA+ com rendimento parte prefixada e parte pós-fixada. Essa opção garante que seu dinheiro investido será reajustado pela inflação do período mais uma taxa prefixada, garantindo a chamada taxa de retorno real positiva.

Quando escrevi esse artigo, havia títulos IPCA do Tesouro com retorno entre 2,95% e 4,28% ao ano acima da inflação, com vencimento a partir de 2026.

Títulos privados

Além dos títulos públicos do Tesouro Direto, que acabei de mostrar que ainda há opções com rentabilidades interessantes para compor sua carteira de investimentos, há um oceano de possibilidades de títulos de renda fixa privados.

Rigorosamente, eles apresentam um grau de risco um pouco maior, mas há diversas opções protegidas pelo FGC, o que garante ao pequeno investidor até R$ 250 mil caso invista em títulos de um único banco ou instituição financeira, limitado a R$ 1 milhão por CPF.

Os títulos com garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) são: a Poupança (mas fuja dela já que rende muito pouco), os CDBs, as Letras de Câmbio (LCs), os RDBs, as LCIs e LCAs e as Letra Hipotecária (LHs).

Ao fazer uma consulta de rentabilidades, encontrei CDBs com taxas de retorno de até 12% ao ano, muito acima do atual nível da Selic, embora o vencimento permitisse resgate apenas após entre nove e dez anos. Mesmo assim, no final do artigo vou mostrar uma ferramenta que permite aplicar filtros para quem busca títulos para prazos mais curtos, também com boas taxas de retorno.

Investimentos alternativos

Se quiser aumentar a rentabilidade e já tiver diversificado o suficiente passando pelas opções que acabei de comentar, há a classe de títulos de renda fixa alternativos, que não contam com a garantia do FGC.

Um exemplo de investimento alternativo é a CCB. As Cédulas de Crédito Bancário são emitidas em favor de um banco, e podem ter uma garantia real em contrapartida. Ao investir nisso, você está emprestando seu dinheiro para que uma empresa use, por exemplo, na expansão de seus negócios, em novos projetos e na geração de novos empregos.

Na minha busca, encontrei títulos CCB com taxas de retorno até quatro vezes maior que o Tesouro Selic com possibilidade de resgate depois de seis meses, chegando a ser até seis vezes maior ao se investir por um período maior.

Onde encontrar?

Vamos às dicas:

  • Dentre os investimentos de renda fixa alternativos, tais como os CCBs da MatchMoney, que contam com imóveis construídos como garantia e têm selo de segurança da ABFintechs, com rendimentos que chegam a ser seis vezes mais que o Tesouro Selic;
  • Os títulos do Tesouro, com rentabilidade prefixada de até 8% ao ano, podem ser encontrados no site do Tesouro Direto ou no aplicativo da sua corretora;
  • Quer encontrar os títulos de renda fixa com os melhores retornos? O App Renda Fixa é um aplicativo que mostra todas as opções de investimentos, disponíveis em todas as corretoras, depois que você informar quanto quer investir e por quanto tempo.

Gostou das dicas?

Também dá para falar com a gente em várias de nossas redes sociais, como nosso canal do YouTube, Instagram e nossos podcasts no Spotify. A gente sempre compartilha muito conhecimento sobre economia, finanças e investimentos. Afinal, o conhecimento é sempre uma saída!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Notícias