PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Por que Fusca Itamar é a bola da vez e atinge preço de R$ 100 mil

O empresário José Petrilli diz que venderia por R$ 85 mil em uma semana seu Fusca 1994 com pouco mais de 500 km rodados - Arquivo pessoal
O empresário José Petrilli diz que venderia por R$ 85 mil em uma semana seu Fusca 1994 com pouco mais de 500 km rodados Imagem: Arquivo pessoal
do UOL

Alessandro Reis

Do UOL, em São Paulo (SP)

27/10/2020 04h00Atualizada em 27/10/2020 09h58

Produzido entre 1993 e 1996, o Volkswagen Fusca Itamar marcou o breve retorno de um dos carros mais queridos do Brasil, que havia saído de linha em 1986 e se despediu definitivamente dez anos depois.

Ele se tornou a "bola da vez" entre colecionadores, sobretudo exemplares do último ano de fabricação e pouco rodados. De acordo com especialistas consultados por UOL Carros, unidades em excelente estado da Série Ouro, a derradeira fornada, têm sido comercializadas na faixa de R$ 100 mil ou até ultrapassam esse valor.

Hoje, o Itamar Série Ouro é o mais valorizado - perdendo apenas para Fuscas do início da década de 1950 em perfeito estado.

"O Série Ouro, sem dúvida nenhuma, é o mais procurado da atualidade. Sei de um anunciado por R$ 120 mil, com pouco mais de mil quilômetros rodados. Exemplares razoáveis, com mais quilometragem, podem ser adquiridos por R$ 55 mil, R$ 60 mil", diz Robson Cimadon, o Alemão, dono da loja Século 20, localizada em Santo André (SP).

De acordo com Alemão, a cor mais cobiçada da última edição do Fusca é a vermelho Dakar, que acredita ter tido cerca de 250 unidades fabricadas. Ele vendeu há quase quatro anos um Série Ouro nessa tonalidade, com aproximadamente 9.000 km, por R$ 60 mil.

Volkswagen Fusca Itamar inflacionado Série Ouro Vermelho Dakar 1996 - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Fusca Série Ouro 1996 vermelho Dakar foi vendido há 4 anos por R$ 60 mil; preços têm subido desde então
Imagem: Arquivo pessoal

"O Série Ouro sempre teve muita força e o preço só tem subido. Trazia como diferenciais a tapeçaria luxuosa, o volante de Gol, o emblema na lateral e o painel com fundo branco. Também tinha faróis de milha e não trazia as faixas laterais", explica o negociante de carros antigos.

Silvio Luiz, proprietário da loja Old is Cool Motors, concorda com o colega e também aponta o Série Ouro Vermelho Dakar como o queridinho dos antigomobilistas.

"O carro teve baixa produção com essa cor e pode custar mais de R$ 150 mil. Inclusive, dificilmente aparece no mercado. Quando um Fusca desse troca de mãos, a transação costuma acontecer diretamente entre colecionadores", salienta.

Por que ficou tão caro

Volkswagen Fusca Itamar inflacionado Série Ouro Vermelho Dakar 1996 interior - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Fusca Série Ouro tem ganhado preço com seu painel branco e interior mais luxuoso
Imagem: Arquivo pessoal

Joel Picelli, leiloeiro da Picelli Leilões, explica a mega valorização do Fusca Itamar - o apelido é uma referência ao ex-presidente Itamar Franco, defensor do retorno do modelo e entusiasta do carro da VW.

"Fuscas mais antigos, incluindo os Última Série, de 1986, estão todos com colecionadores. No máximo, trocam de coleção. Já o Itamar ainda tem exemplares em excelente estado esperando para ser encontrados, tirados zero-quilômetro e que até hoje estão com a mesma família. Não apenas Série Ouro, mas da versão comum, principalmente modelo 1996", diz Picelli.

Segundo o leiloeiro, um Itamar padrão com mais de 100 mil km, porém bem cuidado, hoje está custando na faixa de R$ 20 mil a R$ 25 mil. Se for de cor metálica como vermelho Dakar, verde e prata, o valor sobe para R$ 35 a R$ 38 mil. Já o Série Ouro ronda os R$ 100 mil, dependendo da cor, da quilometragem e do estado de conservação.

O Série Ouro atualmente sai pelo dobro do preço do Última Série, considerando veículos nas mesmas condições, afirma Picelli.

Volkswagen Fusca Itamar inflacionado Série Ouro Vermelho Dakar 1996 traseira - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Itamar Série Ouro vermelho Dakar é dos mais valorizados; versões comuns também podem atingir preço alto
Imagem: Arquivo pessoal

"Outro apelo do Itamar é ser o Fusca mais bem construído e utilizável de todos. Sua confiabilidade é muito superior. Especialmente os fabricados em 1995 e 1996. É um carro que dá para utilizar tranquilamente no dia a dia".

O leiloeiro acrescenta que não só o Fusca, como também outros modelos nacionais produzidos nos anos 90, têm apresentado alta valorização.

"Os preços de automóveis brasileiros dessa época estão subindo exponencialmente. Pessoas que eram crianças ou adolescentes há cerca de 30 anos e sonhavam com determinados carros hoje têm dinheiro para comprá-los e saúde para mantê-los e curti-los. Por outro lado, veículos dos anos 30 a 50 têm sofrido desvalorização, pois seu público já morreu ou tem outras prioridades, por conta da idade avançada".

Itamar zerado faz companhia a Porsche

Fusca Itamar Porsche 911 - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Empresário comprou Fusca Itamar 1994 para fazer companhia ao seu Porsche 911 Carrera
Imagem: Arquivo pessoal

UOL Carros localizou o dono de um Itamar que não é Série Ouro, tampouco do último ano de fabricação.

Foi adquirido há quase cinco meses com pouco mais de 400 km rodados e aparenta ter acabado de sair de uma concessionária.

Hoje marcando 577 km no hodômetro, o Fusca 1994 branco pertence ao empresário José Gustavo Petrilli, de São Carlos, no interior paulista.

Volkswagen Fusca Itamar inflacionado - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Proprietário diz que não trocaria seu Fusca Itamar 1994 zerado por um Série Ouro com mesma quilometragem
Imagem: Arquivo pessoal

Petrilli faz segredo sobre o quanto pagou pelo veículo, mas diz ter "certeza" de que o venderia na mesma semana se o anunciasse por algo entre R$ 80 mil e R$ 85 mil.

"Gosto de carro antigo original e pouco rodado. Esse Itamar eu levei dois anos para encontrar. Esse carro pertencia a uma empresa de reflorestamento em Curitiba [PR] e ficou durante muitos anos guardado no barracão de uma fazenda. Só ligavam o motor regularmente, para não estragar", conta Petrilli, de 45 anos.

Ele conta, orgulhoso, que adquiriu seu Fusca com todos os adesivos originais, plástico no banco traseiro, manual e até o documento ainda registrado em nome da firma.

Volkswagen Fusca Itamar inflacionado cofre motor - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Cofre do motor traz todos os adesivos originais; dono só trocou filtros e boia de combustível
Imagem: Arquivo pessoal

"É praticamente zero, nem cheguei a negociar preço".

O Itamar faz companhia a um Porsche 911 Carrera também branco e de última geração, que o dono gosta de posar ao lado para evidenciar as semelhanças entre os projetos.

"O Itamar está pegando um valor absurdo e R$ 100 mil é um preço factível. Se você tem condição financeira, dá para encomendar um Porsche zero que ele chega dentro de seis meses a um ano. Já um Fusca como o meu não se fabrica mais e é muito difícil de achar".

Notícias