PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Bolsonaro reúne ministros em hasteamento da bandeira e só 7 usam máscara

Bolsonaro participa da cerimônia de hasteamento da bandeira no Palácio do Alvorada ao lado de ministros e outras autoridades - Gabriela Biló/Estadão Conteúdo
Bolsonaro participa da cerimônia de hasteamento da bandeira no Palácio do Alvorada ao lado de ministros e outras autoridades Imagem: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo
do UOL

Do UOL, em São Paulo*

27/10/2020 10h36Atualizada em 27/10/2020 10h49

Em uma cerimônia em que a maioria dos presentes não usou máscara, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e os ministros participaram na manhã de hoje do hasteamento da Bandeira Nacional no Palácio da Alvorada. O uso do equipamento de proteção facial é uma das principais medidas de prevenção contra o coronavírus, segundo autoridades sanitárias.

Durante a evento, os participantes ficaram perfilados lado a lado, com o vice-presidente Hamilton Mourão, o advogado-geral da União, José Levi, e os ministros Paulo Guedes (Economia), Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia), Tereza Cristina (Agricultura), Onyx Lorenzoni (Cidadania) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores) sendo os sete únicos que fizeram uso da máscara.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, não participou da cerimônia por estar se recuperando da covid-19. Ao longo da pandemia, o novo coronavírus infectou outros integrantes do Governo:

  • Jorge Oliveira (que deixou Secretaria-Geral para assumir uma vaga no Tribunal de Contas da União);
  • Bento Albuquerque (Minas e Energia);
  • Onyx Lorenzoni (Cidadania);
  • Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional);
  • Walter de Souza Braga Netto (Casa Civil);
  • Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União);
  • Milton Ribeiro (Educação);
  • Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovações);
  • e Marcelo Alvaro Antônio (Turismo).

Além disso, o próprio presidente foi vítima da pandemia. A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e dois dos filhos de Bolsonaro, Flávio (senador pelo Republicanos do Rio de Janeiro) e Jair Renan, também foram diagnosticados com covid-19. Todos se recuperaram bem.

O uso da máscara é recomendado como forma de controlar a disseminação do vírus. Especialistas indicam que aglomerações devem ser evitadas, mesmo ao ar livre.

Outros presentes

Além dos ministros de Estado e presidentes de bancos oficiais, também estava presente no local o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres. Ontem, o Ministério Público Federal (MPF) instaurou procedimento para questionar o Ministério da Saúde e a Anvisa sobre o planejamento e escolha de vacinas contra a covid-19.

Na semana passada, o debate sobre um imunizante foi alvo de divergências entre o governo federal e o governo de São Paulo. Bolsonaro foi contrário à aquisição de uma vacina de origem chinesa e mandou cancelar protocolo assinado pelo ministro Eduardo Pazuello. Apesar disso, a Anvisa autorizou o governo paulista, na sexta-feira, a importar 6 milhões de doses da vacina Coronavac.

Também estavam presentes na cerimônia de hoje o diretor-geral da Polícia Federal, Rolando Alexandre de Souza; o secretário especial de Assuntos Estratégicos, Flávio Rocha, cotado para assumir o cargo de ministro-chefe da Secretaria-Geral, com saída de Jorge Oliveira no fim do ano para assumir vaga no Tribunal de Contas da União (TCU); e o diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem.

Antes da cerimônia, o presidente cumprimentou apoiadores que estavam em frente ao Alvorada para assistir ao hasteamento da Bandeira. Além da brasileira, foram elevadas as bandeiras do Mercosul e a do Brasão da República, símbolo da Presidência.

Na sequência, o chefe do Executivo e os demais membros do governo se reuniram na residência oficial para mais um encontro do Conselho de Governo.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Notícias