PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Enviado da ONU na Síria admite estagnação do processo político

27/10/2020 14h32

Nações Unidas, Estados Unidos, 27 Out 2020 (AFP) - O enviado da ONU para a Síria, Geir Pedersen, disse ao Conselho de Segurança nesta terça-feira (27) que não será possível realizar uma reunião em outubro em Genebra, conforme inicialmente previsto pelo órgão encarregado da revisão da Constituição, e indicou que espera poder agendá-la para novembro.

Por falta de acordo, "não pudemos nos reunir em outubro porque esperávamos uma quarta sessão da Comissão Constitucional Restrita", que reúne 45 representantes do regime, da oposição e da sociedade civil, informou durante uma videoconferência.

Referindo-se a uma recente viagem a Damasco, o enviado estava confiante. "Ainda não temos um acordo definitivo, mas o plano é fazer novas discussões em novembro", acrescentou, sem citar a data de 23 de novembro mencionada por fontes diplomáticas.

Durante a discussão, o vice-embaixador dos EUA na ONU, Richard Mills, disse que a falta de avanço nas discussões sobre a reforma constitucional era "inaceitável".

"É hora de dizer ao regime de (Bashar al) Assad que basta", disse.

"O processo político está completamente estagnado" e depois de um ano "os resultados do Comitê Constitucional são quase nulos", acrescentou o embaixador francês, Nicolas de Rivière, acusando Damasco de querer ganhar tempo.

As últimas reuniões da Comissão Constitucional datam do final de agosto, sem avanços significativos.

Inaugurado em 30 de outubro de 2019 nas Nações Unidas em Genebra, este Comitê, que inclui 150 membros em sua ampla configuração, é responsável por emendar a Constituição de 2012 para uma próxima eleição.

A ONU espera que esse processo abra caminho para uma solução política para o conflito que já custou mais de 380.000 vidas desde 2011.

prh/cjc/mls/lda/cc

Notícias