PUBLICIDADE
Topo

Notícias

'Devíamos ter ficado quietos', diz ministro italiano sobre Covid

26/10/2020 09h05

SÃO PAULO, 26 OUT (ANSA) - O ministro do Esporte da Itália, Vincenzo Spadafora, fez um mea culpa a respeito do otimismo demonstrado pelo governo em relação à pandemia do novo coronavírus há algumas semanas.   

Entre o fim de setembro e o início de outubro, ministros e outros expoentes do governo italiano afirmaram em diversas ocasiões que a situação do país na "segunda onda" do Sars-CoV-2 era melhor que a de outras nações europeias, porém os números parecem ter saído novamente do controle.   

"Devíamos ter ficado calados duas semanas atrás", comentou Spadafora em entrevista à emissora Rai, ao ser questionado sobre o que deu errado nos últimos dias. No início de outubro, o próprio ministro da Saúde, Roberto Speranza, havia dito que a Itália "estava melhor que muitos países europeus" na segunda onda da pandemia.   

Há cerca de 10 dias, a Itália vem registrando recordes consecutivos de novos casos do coronavírus Sars-CoV-2, enquanto as cifras de mortes a cada 24 horas - 128 no último domingo - voltaram ao patamar da segunda quinzena de maio, quando o país havia acabado de sair de mais de dois meses de lockdown.   

Por conta disso, diversas regiões, como Lazio, Lombardia e Campânia, decretaram toque de recolher noturno, sendo que esta última deve introduzir um lockdown nos próximos dias.   

Já o primeiro-ministro Giuseppe Conte assinou um decreto que fecha bares e restaurantes às 18h (com exceção de serviços de retirada e delivery) e obriga escolas de ensino médio a terem pelo menos 75% de carga horária com ensino a distância.   

Academias, piscinas, cinemas, teatros e casas de shows foram fechados, e competições esportivas amadoras estão suspensas. Até o momento, a Itália contabiliza 525.782 casos do novo coronavírus e 37.338 mortes. (ANSA).   

Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Notícias