PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Economia repassará R$ 60 mi para Meio Ambiente combater queimadas

Imagem aérea mostra região do Pantanal devastada após queimadas - Rafael Visentainer/Arquivo Pessoal
Imagem aérea mostra região do Pantanal devastada após queimadas Imagem: Rafael Visentainer/Arquivo Pessoal
do UOL

Carla Araújo e Guilherme Mazieiro

Do UOL, em Brasília

23/10/2020 17h25

O Ministério da Economia informou hoje (23) que repassará R$ 60 milhões para o Ministério de Meio Ambiente. Nesta semana, a pasta de Ricardo Salles suspendeu atividades de combate a incêndios sob a justificativa de que não tinha mais autorização da Economia para custear os serviços na linha de frente, como brigadistas, aeronaves e veículos.

Ontem, o Ministério do Desenvolvimento Regional ofereceu outros R$ 30 milhões para Salles. Apesar da ajuda da Economia, esta verba está mantida, mas pode variar para mais ou para menos, segundo assessoria do Desenvolvimento Regional. Os R$ 30 milhões serão enviados em caráter de emergência a partir de recursos da Defesa Civil. Com isso, a pasta de Meio Ambiente poderá receber cerca de R$ 90 milhões.

Neste ano em que o país enfrenta recordes de queimadas no Pantanal e na Amazônia, Salles justifica que tem dificuldades orçamentárias para combater as queimadas através do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) e ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade).

Em meio às tentativas de conseguir os recursos, Salles disparou contra a ala militar do governo. O alvo foi o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, responsável pela articulação política.

Em seu perfil do Twitter, Salles chamou o ministro de "Maria Fofoca" e teve apoio de aliados do presidente como Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Ramos evitou rebater publicamente.

Hoje, em evento com Jair Bolsonaro (sem partido), os dois ministros estiveram juntos e se abraçaram ao presidente.

"O Ministério da Economia (ME) informa que está remanejando R$ 60 milhões de seu limite de pagamento para o Ministério do Meio Ambiente (MMA). O remanejamento ocorrerá por meio de portaria, que deverá ser publicada no Diário Oficial da União (DOU)", informou a nota da Economia.

Em julho, Salles solicitou que Economia permitisse usar R$ 230 milhões do seu próprio orçamento, foram autorizados R$ 96 milhões.

Em setembro, o Ministério do Meio Ambiente solicitou a liberação dos R$ 134 milhões restantes. Este montante foi negado e sem esse recurso, Salles suspendeu ações de combate ao fogo.

O Ministério da Economia informou que os R$ 60 milhões anunciados hoje serão remanejados do seu próprio orçamento e não são relativos ao pedido de R$ 134 milhões feito por Salles.

Notícias