PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Neguinho da Beija-Flor diz que neto trabalhava quando foi baleado em baile

19.10.2020 - Neguinho da Beija-Flor no enterro do neto Gabriel Ribeiro Marcondes - Tatiana Campbell/UOL
19.10.2020 - Neguinho da Beija-Flor no enterro do neto Gabriel Ribeiro Marcondes Imagem: Tatiana Campbell/UOL
do UOL

Tatiana Campbell

Colaboração para o UOL, no Rio

19/10/2020 19h10

A família de Gabriel Ribeiro Marcondes, 20, relatou que o rapaz estava trabalhando quando foi baleado na noite de sábado (17) durante um baile funk em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O sambista Neguinho da Beija-Flor, avô de Gabriel, disse no enterro —realizado na tarde de hoje no Cemitério de Nova Iguaçu— que o jovem estava no "lugar errado e na hora errada".

"O garoto estava arrumando uma tenda, ele tem uma empresa que monta tendas em eventos, era por volta das 20h, e houve uma ação [policial] no local, que me disseram que é um lugar violento, local de tráfico e ele foi lá arrumar essa tenda. Ele estava no lugar errado e na hora errada", disse o sambista, muito abalado. O sepultamento reuniu mais de uma centena de parentes e amigos.

"Infelizmente tenho que enterrar um neto que eu vi nascer, praticamente criado comigo. Neto é filho duas vezes. Nunca pensei em passar um momento como esse, momento tão difícil como o que estou passando agora, mas tenho que ser forte", desabafou Neguinho da Beija-Flor.

19.out.2020 - Enterro de Gabriel Ribeiro Marcondes, neto do Neguinho da Beija-Flor - Tatiana Campbell/UOL - Tatiana Campbell/UOL
19.out.2020 - Enterro de Gabriel Ribeiro Marcondes, neto do Neguinho da Beija-Flor
Imagem: Tatiana Campbell/UOL

A avó Wilma Ferreira da Silva, 69, relatou uma "dor insuportável. "Um menino muito bom, do bem. É uma dor insuportável para mim e para todos. Pegaram meu neto e mataram meu neto", disse emocionada.

O pai de Gabriel, Paulo César Marcondes, passou mal diversas vezes durante o sepultamento e precisou ser amparado por parentes. "Tiraram a vida do meu filho. Meu filho era uma criança. Ele queria ser igual a você [referindo-se ao Neguinho da Beija-Flor]. [...] Eu estou Te entregando meu filho", disse o filho do sambista.

Três mortes em baile funk

Na madrugada de ontem (18), Gabriel e outras duas pessoas morreram após serem baleadas em um baile funk que acontecia no Morro da Bacia, no distrito de Miguel Couto. Um outro homem foi baleado, mas está internado no Hospital da Posse, na mesma região.

Gabriel Ribeiro Marcondes, neto de Neguinho da Beija-Flor - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Gabriel Ribeiro Marcondes, neto de Neguinho da Beija-Flor
Imagem: Arquivo Pessoal

A Polícia Militar informou que agentes do Batalhão de Mesquita, município da baixada, estavam em patrulhamento pelo bairro Ambaí, em Nova Iguaçu, quando receberam denúncia sobre um evento não autorizado que estaria começando a bloquear uma rua.

Segundo a versão da PM, durante o deslocamento da viatura, os policiais tentaram abordar dois homens em uma moto na avenida Henrique Duque Estrada Meyer, mas a dupla fugiu em direção ao evento.

Ainda de acordo com a corporação, "no local indicado, as equipes foram recebidas por disparos de arma de fogo e ocorreu reação. Após cessar a situação, quatro indivíduos foram encontrados feridos e houve apreensão de uma pistola calibre 9 mm, dois revólveres calibre 38, duas granadas, munições, uma réplica de fuzil, três rádios comunicadores e drogas".

Gabriel Marcondes chegou a ser levado por policiais do 20º BPM (Nova Iguaçu) ao Hospital da Posse, mas não resistiu.

Investigação

Ao UOL, o delegado Willians Batista de Souza informou que o homem internado foi preso em flagrante e está sob custódia na unidade hospitalar.

Rogério Bezerra Ferreira, que já responde pelos crimes de tráfico e associação, foi reconhecido pelos agentes como sendo um dos homens que disparou contra eles. A reportagem não conseguiu contato com Ferreira ou com sua defesa.

"Os PMs já foram ouvidos. Estamos providenciando a oitiva do sobrevivente", disse o delegado.

Além de Gabriel, a Polícia Civil identificou os outros dois homens que morreram —Matheus da Silva Gomes, que tem anotação por tráfico e porte de arma de fogo, e David Oliveira de Jesus, que não possui antecedentes criminais.

Notícias