PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Bilhete em maço de cigarro salva mulher presa pelo marido em obra no CE

Bilhete escrito por vítima de cárcere privado que permitiu seu resgate pela polícia, no Ceará - Divulgação
Bilhete escrito por vítima de cárcere privado que permitiu seu resgate pela polícia, no Ceará Imagem: Divulgação
do UOL

Do UOL, em São Paulo

18/10/2020 14h20Atualizada em 19/10/2020 15h17

Uma mulher foi salva pela polícia em Araripe (CE) depois de ser mantida em cárcere privado pelo companheiro em uma obra onde ele trabalhava como vigia. O caso foi descoberto depois que ela escreveu um bilhete pedindo socorro em um pedaço de papel de um maço de cigarro. "Polícia, por favor, urgente", escreveu ela em letras maiúsculas com um lápis de pedreiro que encontrou no local.

Ela amassou o papel e o jogou por cima do tapume que cobria o local em que ela estava contra a vontade e viu um menino que passava de bicicleta perto da obra encontrar o bilhete e conseguiu pedir a ele que procurasse um adulto para pedir ajuda.

A PM foi acionada e chegou ao local indicado, mas não tinha o endereço certo. Ao baterem na creche, o vigia disse aos policiais que nada estava acontecendo, mas a mulher ouviu e gritou de dentro da obra que estava na creche contra a vontade dela e foi, enfim, resgatada.

Em entrevista à TV Globo, ela contou que vai chamar a polícia de novo caso sofra violência doméstica novamente. "Se for preciso chamar a polícia 500 vezes, eu vou chamar, mas ninguém mais vai me massacrar", disse.

Mulher foi agredida antes de ser presa na obra

A mulher contou à polícia que havia sido presa na creche na sexta (16) pela manhã porque o marido é bastante ciumento e não a deixa sair de casa. Antes disso, ela e o marido haviam discutido em casa e ele a agrediu com um chute em uma das pernas, o que causou uma luxação.

Doente de fibromialgia, doença que causa dores generalizadas pelo corpo, ela não conseguia se alimentar e beber água enquanto esteve encarcerada e fumou dois maços de cigarro por conta do nervosismo causado pela situação.

Por causa dos gritos de dor da mulher, o vigia tapou sua boca e mandou que ela ficasse calada, mas ela conseguiu se desvencilhar.

Homem já havia sido preso antes por violência doméstica

O caso foi encaminhado à Delegacia Regional do Crato onde o vigia foi preso em flagrante por cárcere privado em contexto de violência doméstica.

A Secretaria de Segurança Pública do Ceará disse que o acusado, de 33 anos, já foi preso e é processado por violência doméstica. Ele também já foi preso por furto. Ele confessou o crime e segue preso. Os nomes dos envolvidos no caso não foram divulgados.

Notícias