PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Eurolook: tuning de carros europeus com visual 'limpo' ganha fãs no país

Rodas grandes, suspensão baixa e sem exageros: assim é o estilo Eurolook - Rodrigo Ronconi/Ronconi Fuel Frame
Rodas grandes, suspensão baixa e sem exageros: assim é o estilo Eurolook
Imagem: Rodrigo Ronconi/Ronconi Fuel Frame
do UOL

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

17/10/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Estilo de personalização começou na Alemanha e ganhou o mundo
  • Carros europeus são maioria entre os projetos conhecidos como 'Eurolook'
  • Rodas grandes e visual discreto estão entre características dos projetos

O mundo da personalização de carros é formado por estilos dos mais variados. Tem quem goste dos clássicos (como os hot rods e os muscle cars) e aqueles que apreciam modelos japoneses.

Entre elas existe uma escola que vem ganhando força no Brasil: o Eurolook. Mas você sabe o que é isso?

Raízes na Alemanha

BMW 1 - Rodrigo Ronconi/Ronconi Fuel Frame - Rodrigo Ronconi/Ronconi Fuel Frame
Modelos alemães representam as origens do estilo
Imagem: Rodrigo Ronconi/Ronconi Fuel Frame

Se a sua resposta foi não, tudo bem - até porque é um pouco difícil explicar os conceitos por trás desse estilo.

Só que, antes de falar dele, precisamos lembrar do "German Look". Como o nome sugere, este estilo de personalização surgiu na Alemanha.

O fenômeno começou nos anos 60, quando donos de Fusca preparavam seus carros com peças de modelos da Porsche, como o 356 e posteriormente o 914. Até motores dos esportivos entravam na dança.

Para dar o toque final, componentes como rodas e volantes eram aplicados nos simpáticos Volkswagen. Com o passar dos anos, os adeptos foram realizando modificações mais radicais, incluindo para-lamas alargados e kits aerodinâmicos. Modelos de outras marcas alemãs, como BMW e Mercedes-Benz, também começaram a ser personalizados.

Àquela altura, o German Look já havia ultrapassado as fronteiras da Alemanha e se popularizado por toda a Europa. Logo outros modelos de carros começaram a ser personalizados - e aí nascia o Eurolook.

Nas duas vertentes o resultado final sempre é discreto. Por isso entenda-se: nada de apêndices aerodinâmicos desnecessários ou luzes por todos os lados.

Para todos

BMW 2 - Letícia Burba/Acervo Pessoal - Stephanie Sathie - Letícia Burba/Acervo Pessoal - Stephanie Sathie
Cores fortes também são bem aceitas nos projetos
Imagem: Letícia Burba/Acervo Pessoal - Stephanie Sathie

Estamos falando de uma escola de personalização mais permissiva do que as demais. Em vez de Fuscas e outros clássicos alemães, praticamente qualquer modelo de qualquer marca pode ser customizado.

Normalmente os adeptos utilizam peças de outros modelos do mesmo grupo e/ou fabricante - como um VW Golf com rodas de Porsche. Até cores vibrantes são aceitas sem restrições.

Rodas grandes, suspensão rebaixada (para efeito estético ou funcional) e alguns adereços aqui e ali também são permitidos. E tanto faz se o projeto inclui uma preparação mais forte debaixo do capô ou contempla apenas o visual.

Personalizado com classe

BMW 2 - Acervo Pessoal - Acervo Pessoal
Stephanie posa com seu BMW 325i
Imagem: Acervo Pessoal

Um bom exemplo é o BMW 325i 1995 de Stephanie Sathie, que comprou o carro quase que por acaso.

"Eu tinha um Renault Clio e já estava pensando em trocá-lo. No começo cogitei um Golf GTI, mas meu marido viu que estava gostando dos BMW e me incentivou a correr atrás de um. Procuramos na internet e achamos o carro no Paraná por um preço super em conta! Fizemos o maior esforço para levantar dinheiro de todas as maneiras e consegui comprá-lo", lembra.

Stephanie e seu marido fizeram várias modificações no carro, incluindo a instalação do para-choque frontal do M3 E35, a adoção de suspensão a ar e belas rodas de liga leve YearOne de 17 polegadas.

O resultado final é um veículo com personalidade e estilo agressivo, mas sem ser excessivamente chamativo. Ou seja, um bom representante não só do estilo Eurolook, mas da personalização sobre rodas.

Notícias