PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Homem filmado agredindo ex na BA segue foragido; defesa tenta habeas corpus

Moradores de prédio gravaram agressão, em Ilhéus (BA) - Reprodução
Moradores de prédio gravaram agressão, em Ilhéus (BA) Imagem: Reprodução
do UOL

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, no Recife

17/10/2020 20h23

O homem apontado como autor das agressões contra uma ex-companheira dele em Ilhéus (BA), na região sul do estado, que foram filmadas por moradores de um prédio do bairro Nelson Costa, continua foragido. A Polícia Civil da Bahia continua com as buscas, mas não conseguiu capturá-lo.

Segundo as investigações, Carlos Samuel Freitas Costa Filho, 33, é o homem que aparece em um vídeo agredindo a jovem com uma série de socos no rosto dela e ainda discute com testemunhas que gravaram o crime.

A defesa de Costa Filho informou que já entrou com habeas corpus. E que ele não vai se apresentar à polícia enquanto a Justiça não julgar o pedido de relaxamento do mandado de prisão preventiva. A determinação da prisão foi dada na noite de quinta-feira (15) e desde então ele está foragido da Justiça.

O advogado do foragido da Justiça, Caíque Santana Mota disse que Costa Filho manteve a rotina profissional, viajando para outro município, pois é representante comercial e, por isso, não foi localizado pela polícia no endereço informado durante depoimento prestado à DEAM.

"A situação dele será definida após a decisão judicial do pedido de revogação do mandado de prisão. Caso não seja julgado favorável para ele, acredito que o meu cliente se apresentará a polícia", informou o advogado.

Depoimento e mandado de prisão preventiva

As agressões ocorreram em junho, mas se tornaram públicas esta semana, quando o vídeo foi publicado na internet. A vítima não registrou boletim de ocorrência. Mesmo assim, a DEAM (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), em Ilhéus, registrou uma notícia de fato para investigar o ocorrido, por se tratar de ação penal pública incondicionada, e informou o caso ao Ministério Público da Bahia.

A Promotoria de Justiça fundamentou o pedido de prisão indicando a reincidência dele em casos de violência doméstica. A 2ª Vara Criminal de Ilhéus determinou a prisão preventiva de Carlos Samuel Freitas Costa Filho, acatando pedido do Ministério Público da Bahia.

Carlos Samuel Freitas Costa Filho chegou a prestar depoimento na tarde de quinta-feira (15), ao delegado Evy Paternostro, coordenador da Coorpin (Coordenadoria Regional de Polícia do Interior), mas foi liberado, pois não existia ainda mandado de prisão expedido contra ele. Segundo a polícia, ele afirmou que teria sido agredido com tapas antes de ser filmado dando socos na vítima.

A polícia afirma ainda que Costa Filho confirmou o endereço que reside mas, desde que saiu a ordem de prendê-lo, ele não voltou ao imóvel e nem foi encontrado na casa de parentes.

"A Polícia Civil esteve por diversas vezes no endereço da residência dele, que ele declarou no interrogatório como sua moradia e foi confirmado em diligência, mas não encontrou. Os proprietários do imóvel, que é alugado, informaram que não veem o inquilino desde que o vídeo se tornou público", disse o delegado.

A vítima foi ouvida pela polícia, também na última quinta-feira, após ser localizada em outro município, e relatou que não registrou boletim de ocorrência porque ficou com medo de sofrer novas agressões, além de não querer se expor com a situação.

Investigação

A polícia conta que a mulher ainda voltou a conviver com o agressor pois ele teria pedido desculpas e prometido que não iria mais agredi-la. No entanto, em setembro, segundo relato da vítima, ela foi agredida mais uma vez e decidiu acabar com o relacionamento e mudou de cidade.

De acordo com a DEAM, Carlos Samuel Freitas Costa Filho tem 11 registros na polícia por violência doméstica contra ex-namoradas e mulheres da família dele. A Polícia Civil informou que ele chegou a ser preso em flagrante por agredir a mãe, tendo sido liberado em seguida pela Justiça.

O Ministério Público informou também que Carlos Samuel Freitas Costa Filho já foi denunciado à Justiça por crimes de violência doméstica, ameaça e cárcere privado contra uma ex-namorada. Ele foi condenado a um ano e quatro meses de prisão, mas recorreu da decisão judicial ocorrida em primeira instância. Entretanto, a Justiça manteve o crime de cárcere privado, em decisão dada Tribunal de Justiça da Bahia, no mês de agosto. Já os crimes de violência doméstica e ameaça foram prescritos.

O advogado de Costa Filho não quis comentar as acusações e afirmou que, em momento oportuno, haverá um posicionamento.

Agressões filmadas

Ao ver a discussão entre um homem e uma mulher, em junho, moradores de um prédio da região começaram a filmar. Na gravação, a vítima aparece encostada em um carro e pede que o homem vá embora. Ele discute com a vítima enquanto moradores filmam e tentam intervir na situação.

Em determinado momento, moradores dizem que um homem vai descer para que ele largue a jovem e vá embora. Ele retruca: "Ei, cadê ele? Manda ele descer, que eu quero ver!", grita. "Não desça não, moço. Ele é um 'Zé Ruela', não tem nada", diz a jovem chorando.

A mulher pede repetidamente que o agressor vá embora, mas ele continua prendendo-a no carro e tenta beijá-la. "Me solte, vá embora. Você acha que é amigo de polícia. Vou dar queixa de você aqui. Minha boca está do jeito que está. Nada, acabou. Desencosta de mim e vá embora", pede a vítima.

Em seguida, o homem começa a agredir a jovem, que não consegue reagir às agressões. Nas imagens, é possível ver que o homem desfere uma sequência de nove socos no rosto dela. A mulher cai na rua e o homem vai embora andando. A gravação termina com pessoas gritando e xingando o agressor.

Notícias