PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Guedes chora ao receber estudantes premiados e falar do futuro do país

Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

do UOL

Do UOL, em Brasília

16/10/2020 11h25

Sob pressão de uma de parte da cena política, o ministro da Economia, Paulo Guedes protagonizou uma cena que não é tão usual na Esplanada dos Ministérios. Ao receber um grupo de estudantes na quarta-feira (14), o ministro foi às lágrimas.

O encontro com os medalhistas da Olimpíada Internacional de Economia e da Olimpíada Internacional de Matemática não constava inicialmente na agenda. Mas, Guedes não só abriu espaço para os estudantes como falou do seu passado e chorou ao menos três vezes na conversa.

E fez um alerta: "se divulgar esse negócio, não me bota chorando, me bota batendo palma para eles", disparou.

Ao fazer um relato das suas atividades, o ministro disse que vive um desafio constante e que decisões corretas ou erradas podem ajudar ou prejudicar muita gente.

"Eu sou testado a todo momento, aqui são dezenas de decisões por dia, você tem que tomar rápido", afirmou. "Isso não me emociona, estou preparado para lidar com essas decisões rápidas. O que me emociona é ver uma turma jovem feito essa chegando e mostrando que futuro vai ser melhor ainda", completou.

Guedes, que desde o início do governo do presidente Jair Bolsonaro tem tentado emplacar uma agenda de reformas, repetiu que a condução de sua política econômica é para pensar nas gerações futuras. "Vocês são as gerações futuras que nós estamos tentando defender", disse. "Vocês estão chegando e vão nos ajudar", completou.

Passado "premiado"

Os estudantes brasileiros foram levados até Guedes pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes. Guedes começou a reunião com medalhistas já emocionado e alegou que as lágrimas eram resultado de lembranças do seu passado.

"Eu fiquei emocionado porque quando tinha 10, onze anos, ganhei uma olimpíada", disse, acrescentando que ali passou a ter a "noção de que a gente podia ser mais, podia fazer mais".

"Eu ganhei um concurso que tinha, sei lá, 2 mil, 3 mil concorrentes e vocês ganharam o concurso com 20 milhões de jovens e depois foram lá fora com outros milhões, chineses, americanos, então oh", disse Guedes, enxugando as lágrimas. "Desculpem, eu me emociono poucas vezes".

Medalhistas

Na Olimpíada Internacional de Economia, o Brasil conquistou o bicampeonato mundial por equipes, à frente dos EUA e China, com três medalhas de ouro e duas de prata. Na banca examinadora estava Eric Maskin, prêmio Nobel de Economia de 2007.

Já na Olimpíada Internacional de Matemática, o Brasil obteve o 10º lugar por equipes entre 105 países, o melhor de sua história, com a conquista de uma medalha de ouro e cinco de prata, a frente de Alemanha, Japão e França.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Notícias