PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Como carros elétricos fazem marcas de luxo 'bombarem' em plena pandemia

e-tron SUV foi o primeiro de uma gama de elétricos que a Audi venderá no país - Divulgação/Audi
e-tron SUV foi o primeiro de uma gama de elétricos que a Audi venderá no país
Imagem: Divulgação/Audi
do UOL

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo

16/10/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Audi e Volvo vivem bons momentos por conta de modelos eletrificados
  • Marca alemã atingiu liderança em carros elétricos com e-tron SUV
  • Volvo virou 2ª entre marcas premium graças ao sucesso dos híbridos

Os veículos eletrificados ainda são restritos a um seleto grupo de clientes em países como o Brasil. Mas isso não impede que eles façam tanto sucesso a ponto de serem fundamentais nos resultados de duas marcas de luxo no país.

A Audi já colhe os frutos de ter apostado nos modelos 100% elétricos. Lançado em regime de pré-venda no fim de 2019 e comercialmente em abril deste ano, o e-tron SUV se tornou o carro elétrico mais vendido do país, mesmo custando mais de R$ 550 mil.

e-tron sportback - Divulgação/Audi - Divulgação/Audi
Vendas do e-tron Sportback também estão boas, diz Audi
Imagem: Divulgação/Audi

"Tínhamos boas expectativas com o desempenho da linha e-tron no mercado brasileiro, mas agora, seis meses após o lançamento da versão SUV, avaliamos que a aceitação dos clientes foi acima do esperado. A maior prova disso é que o e-tron SUV é hoje o veículo 100% elétrico mais vendido do Brasil dentre todos os modelos disponíveis, com mais de 120 unidades comercializadas até o momento", afirma Johannes Roscheck, CEO e presidente da Audi Brasil.

Além do e-tron SUV, a Audi oferece o e-tron Sportback (cujas vendas "estão começando a surpreender também", nas palavras de Roscheck) e já confirmou outros dois modelos elétricos - ambos esportivos.

O e-tron Sportback S traz três motores elétricos e potência de 500 cv, enquanto o e-tron GT entrega ainda mais: são 590 cv vindos de dois motores elétricos e aceleração de 0 a 100 km/h em meros 3,5 segundos.

e-tron GT - Divulgação - Divulgação
e-tron GT será uma das novidades elétricas da Audi em 2021
Imagem: Divulgação

Assim, a Audi deve ter a maior linha de veículos elétricos do mercado brasileiro entre as marcas de luxo. E isso deve crescer com o passar dos anos, já que a marca pretende lançar 30 modelos eletrificados até 2025 e tornar-se uma empresa 100% neutra em emissões de carbono em 2050.

Híbridos alavancam números da Volvo

Volvo XC60 T8 - Vitor Matsubara/UOL - Vitor Matsubara/UOL
Híbridos como o XC60 puxam vendas da Volvo no país
Imagem: Vitor Matsubara/UOL

Já a Volvo também vive um bom momento. A marca ultrapassou a Mercedes-Benz e assumiu a vice-liderança de vendas entre as marcas premium em 2020.

Grande parte desse feito se deve ao sucesso dos modelos híbridos. A empresa lidera os emplacamentos entre veículos híbridos do tipo plug-in (que podem ser recarregados em qualquer tomada) com 60,9% de participação de mercado, totalizando 1.859 unidades comercializadas até setembro.

Além disso, a marca é a segunda colocada no segmento de carros híbridos, atrás apenas da Toyota - que vende modelos mais acessíveis do que a Volvo, como Corolla Hybrid e Prius.

Elétricos vêm em 2021

XC40 Recharge - Divulgação - Divulgação
Versão 100% elétrica do XC40 estreia no Brasil em 2021
Imagem: Divulgação

Faz algum tempo que a marca sino-escandinava (a chinesa Geely é a atual proprietária da Volvo) investe pesado para reforçar sua imagem de empresa sustentável.

Iniciativas como a abertura de um espaço voltado para "repensar o futuro" no lugar de um posto de combustíveis em São Paulo e a meta de fechar 2020 com 700 pontos de recarga espalhados pelo país só reforçam isso. Ações mais ousadas estão previstas para 2021.

"Vamos migrar nossa oferta para 100% de veículos eletrificados a partir do primeiro trimestre do ano que vem", promete João Oliveira, diretor geral da Volvo Car Brasil.

O executivo revelou ainda que a marca lançará dois produtos 100% elétricos em 2021. Um deles será o XC40 Recharge, versão movida e eletricidade que estreia no país no meio do ano que vem. Mas... e o segundo?

"Será um produto novo numa carroceria inédita na plataforma CMA", limita-se a dizer João.

Notícias