PUBLICIDADE
Topo

Notícias

EUA oferecem recompensa por ex-ministro e ex-vice-ministro da Venezuela

01/10/2020 04h46

Washington, 30 set (EFE).- Os Estados Unidos ofereceram nesta quarta-feira uma recompensa de US$ 5 milhões pelo ex-ministro de Energia Elétrica venezuelano Luis Alfredo Motta Domínguez e pelo ex-vice-ministro de Finanças Eustiquio José Lugo Gómez, sancionados pelo governo americano por corrupção no comando da companhia elétrica estatal Corpoelec.

O anúncio foi feito em comunicado divulgado pelo secretário de Estado, Mike Pompeo, que diz esperar receber informações que levem à prisão e à condenação de ambos.

"A ação de hoje segue a nomeação de Motta e Lugo em 28 de julho de 2020 devido ao seu envolvimento em corrupção significativa, o que resultou na proibição (para eles e as famílias) de entrar nos Estados Unidos", explicou Pompeo. Em 28 de julho, o Departamento de Estado anunciou sanções contra Motta Domínguez, Lugo Gómez, e suas famílias.

Pompeo explicou que ambos "foram acusados de aceitar benefícios monetários, incluindo propinas, em troca de contratos lucrativos de fornecimento de equipamentos para a Corpoelec, e de se apropriarem indevidamente de recursos públicos para o próprio enriquecimento".

Os EUA observaram que a sanção inclui vários membros das famílias, e como resultado, todos estão proibidos de entrar nos EUA por tempo indefinido.

De acordo com as informações fornecidas hoje, Motta Domínguez foi nomeado presidente da Corporação Nacional de Eletricidade (Corpoelec) em 2015 e posteriormente ministro da Eletricidade, enquanto Lugo Gómez foi vice-ministro de Finanças, Investimento e Aliança Estratégica no Ministério da Eletricidade, além de diretor de compras da Corpoelec, sob a direcão do primeiro.

Motta foi destituído do ministério e da presidência do Corpoelec em 2019, após quatro anos no cargo.

Ambos também acumulam oito acusações no Tribunal do Distrito Sul da Flórida, uma delas de conspiração para lavar dinheiro e sete de lavagem de dinheiro, relacionadas com o suposto recebimento de propina para favorecer empresas.

Notícias