PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Reunião chave não consegue desbloquear acordo de ajuda econômica dos EUA

30/09/2020 21h20

Washington, 1 Out 2020 (AFP) - Uma reunião entre o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, e a líder dos democratas no Congresso, Nancy Pelosi, não conseguiu resolver nesta quarta-feira (30) o bloqueio a uma ajuda adicional à economia dos Estados Unidos, mas os dois lados concordaram em continuar as negociações.

A falta de consenso prepara o terreno para milhares de possíveis cortes de empregos no setor de aviação comercial. Na quinta-feira, expira o acordo feito com as companhias aéreas americanas que receberam subsídios de bilhões e prometeram não despedir seus funcionários.

O governo Donald Trump e os líderes democratas ficaram parados por meses após a aprovação da Lei Cares, que criou fundos de 2,2 trilhões de dólares, quando a pandemia do coronavírus se intensificou em março. A lei incluía auxílio extra para desempregados, pequenas empresas e assistência ao setor de aviação.

A esperança aumentou esta semana quando Mnuchin e Pelosi retomaram suas conversas e se encontraram pessoalmente. No entanto, as últimas negociações não resultaram em um acordo com o comprometimento do Senado, controlado pelos republicanos.

O secretário do Tesouro "e eu tivemos uma longa conversa e encontramos áreas em que procuramos maiores esclarecimentos", tuitou Pelosi após a reunião. "Nossa conversa vai continuar", disse ela.

- Quanto gastar? -As disposições da Lei Cares - como pagamentos semanais adicionais de 600 dólares para desempregados e empréstimos e subsídios para pequenas empresas - teriam alimentado a recuperação da economia dos EUA durante a crise da covid-19.

Porém, essas medidas expiraram nas últimas semanas. Sindicatos disseram que 100 mil trabalhadores de companhias aéreas ou mais poderiam ser demitidos sem uma ajuda federal adicional, embora analistas esperem que o número real seja menor.

A principal questão que divide democratas e republicanos no Congresso é quanto gastar no novo pacote de estímulo. Esta semana, os democratas revelaram uma nova proposta de 2,2 trilhões de dólares, um trilhão a menos do que inicialmente queriam gastar, e Pelosi disse que colocariam o projeto em votação na Câmara até quarta-feira.

No início do mês, os democratas no Senado barraram uma proposta republicana de 500 bilhões de dólares e, nas últimas semanas, as negociações entre os dois lados haviam cessado.

cs/jm/mps/mls/ic

Notícias