PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Reino Unido quer que estudantes possam voltar para casa no Natal apesar da covid-19

Oxford Street, famosa rua de comércio em Londres, no Reino Unido, iluminada com luzes de Natal - Andrew Winning/Reuters
Oxford Street, famosa rua de comércio em Londres, no Reino Unido, iluminada com luzes de Natal Imagem: Andrew Winning/Reuters

27/09/2020 12h31

LONDRES (Reuters) - O governo britânico quer que os estudantes universitários possam voltar para casa no Natal, disse o ministro da Cultura Oliver Dowden neste domingo (27), em meio a preocupações de que novas restrições à movimentação sejam necessárias para conter o número crescente de casos de coronavírus.

Surtos forçaram algumas instituições a pedir aos alunos — muitos dos quais estão longe de casa e pagando milhares de libras em taxas por acomodação e ensino — que se isolassem em seus quartos e acompanhassem as aulas on-line.

O ministro da Saúde, Matt Hancock, disse na quinta-feira (24) que não poderia descartar ter que pedir aos estudantes para que fiquem no campus durante o Natal como forma de evitar que o vírus se espalhe.

"Eu quero muito que os alunos possam voltar para casa no Natal", disse Dowden à Sky News.

"Faltam três meses para o Natal. Anunciamos uma série de medidas. Estamos constantemente mantendo essa situação sob análise."

O governo enfrenta a inquietação de alguns de seus próprios congressistas, que pressionam para que o parlamento tenha mais voz sobre as restrições relacionadas à covid-19, inclusive por meio de uma emenda apresentada pelos proeminentes congressistas Graham Brady e Steve Baker.

O Partido Trabalhista, de oposição, indicou que poderia apoiar tal movimento.

Novas medidas locais de "lockdown" devem entrar em vigor em partes do País de Gales na noite de segunda-feira, disse o primeiro-ministro Mark Drakeford, na sequência de restrições adicionais que estão sendo decretadas na capital Cardiff na noite de domingo.

Enquanto o governo de Londres tenta evitar um novo "lockdown" nacional, milhões de britânicos vivem sob regras mais rígidas destinadas a limitar atividades que possam gerar contato entre diferentes famílias.

(Reportagem de Costas Pitas)

Notícias