PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Polícia usa implantes de silicone para identificar vítima de assassinato

Implante de silicone foi usado por polícia russa para identificar vítima de assassinato - Ricardo Borges - 9.out.2015/Folhapress
Implante de silicone foi usado por polícia russa para identificar vítima de assassinato Imagem: Ricardo Borges - 9.out.2015/Folhapress
do UOL

Do UOL, em São Paulo

25/09/2020 09h30

Um caso de assassinato na Rússia foi resolvido com a ajuda do número de série dos implantes de silicone da vítima. Segundo o Daily Mail, a polícia russa conseguiu identificar um corpo encontrado no rio Mga, na região de Leningrado, por causa da intervenção cirúrgica.

O corpo pertencia a uma prostituta conhecida como Tamara, uma mulher transgênero, mas o estado em que ele foi encontrado (com todos os membros e a cabeça cortados) teria feito com que a identificação fosse impossível se não fosse o silicone.

O número de série 3253426 TSX 359 nos implantes levou a polícia a uma clínica em Dublin (Irlanda), que por sua vez vendeu o silicone a um hospital na Rússia, onde Tamara foi identificada como a paciente que o recebeu.

Ator confessou o crime

O ator e produtor de cinema Yury Yanovsky, que confessou assassinato na Rússia - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
O ator e produtor de cinema Yury Yanovsky, que confessou assassinato na Rússia
Imagem: Reprodução/Facebook

Após a identificação, a polícia conseguiu estabelecer, com a ajuda de amigos da vítima, quem foi o seu último cliente: o ator e produtor de cinema Yury Yanovsky, que confessou o crime — mas não antes de tentar uma fuga ousada.

Segundo o Daily Mail, quando a polícia apareceu em seu apartamento para prendê-lo, em agosto, ele pulou da janela do quinto andar e fraturou a espinha. Só após semanas de recuperação ele conseguiu dar depoimento e foi preso pelo assassinato.

Yanovsky disse que matou Tamara, com quem já tinha se encontrado outras vezes, com uma faca. Depois, usou uma serra para desmembrá-la antes de jogar o corpo no rio Mga.

O ator já tem uma condenação anterior na ficha, por posse ilegal de armas. Yanovsky agora aguarda sua sentença, que pode chegar a até 15 anos de prisão.

Notícias