PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Justiça europeia rejeita pedido de liberdade do principal suspeito do caso Maddie

Christian B foi apontado como suspeito do desaparecimento de Madeleine McCann - Reprodução
Christian B foi apontado como suspeito do desaparecimento de Madeleine McCann Imagem: Reprodução

24/09/2020 08h46Atualizada em 24/09/2020 09h02

O principal suspeito do desaparecimento em 2007 da menina britânica Madeleine McCann sofreu uma derrota judicial nesta quinta-feira (24), no Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE), que rejeitou sua apelação contra uma condenação em outro caso de estupro. Isso significa que ele permanecerá na prisão.

O alemão Christian B. foi condenado em dezembro de 2019 a sete anos de prisão pelo tribunal de Brunswick, depois que foi considerado culpado pelo estupro de uma americana de 72 anos em 2005, em Portugal, na mesma localidade, Praia da Luz, onde a pequena Maddie desapareceu em maio de 2007.

O acusado questionava a validade da ordem de prisão europeia, pela qual foi detido na Itália, em 2008, e apelou ao Tribunal Federal de Justiça da Alemanha. Este, por sua vez, enviou o caso para o TJUE, que tem sede em Luxemburgo.

A ordem de detenção se referia inicialmente a um caso de narcotráfico, pelo qual Christian B. cumpre atualmente uma pena de prisão.

De acordo com o tribunal, as autoridades italianas, que o prenderam e enviaram para a Alemanha, também concordaram em que ele fosse julgado por este caso de estupro.

O acusado solicitou sua soltura antes da data prevista, em 7 de janeiro de 2021, e poderia ter sido liberado, se o TJUE anulasse a condenação pelo estupro em Portugal.

A decisão desta quinta-feira significa, porém, que, quando o alemão terminar de cumprir a condenação por narcotráfico, terá de começar a cumprir a pena por estupro, enquanto a investigação segue em curso no caso Maddie.

O homem de 40 anos foi identificado há alguns meses como o principal suspeito do assassinato da menina de três anos, que estava de férias com os pais quando desapareceu durante uma noite do quarto de hotel em que dormia.

No momento do crime, o suspeito morava a poucos quilômetros do hotel na pequena localidade costeira portuguesa de Praia da Luz.

Em junho, o MP de Brunswick anunciou que tinha "provas ou fatos concretos, mas não provas forenses", como por exemplo restos do corpo.

Os investigadores alemães não descartam a possibilidade de Christian B. estar envolvido em outros casos ainda não solucionados.

Eles examinam em particular um possível paralelo com um caso de desaparecimento, o da pequena Inga em 2015, em uma floresta da região alemã de Saxônia-Anhalt.

Também investigam vários assassinatos de crianças e jovens não solucionados na Europa, em particular na Bélgica e na Holanda.

Além do caso Maddie, Christian B. também está sendo investigado por agressão sexual a uma menina de 10 anos na região do Algarve, em abril de 2007, poucas semanas antes do desaparecimento da britânica.

"Ele é acusado de masturbação na frente da criança", disse o investigador Hans Christian Wolters.

Wolters informou ainda que, em junho, foi aberta uma nova investigação sobre o estupro de uma menina irlandesa em 2004 no Algarve, onde McCann desapareceu três anos depois.

Notícias