PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Profissões do mundo online terão destaque no pós-pandemia; saiba quais são

José Paulo Kupfer

Jornalista profissional desde 1967, foi repórter, redator e exerceu cargos de chefia, ao longo de uma carreira de mais de 50 anos, nas principais publicações de São Paulo e Rio de Janeiro. Eleito “Jornalista Econômico de 2015” pelo Conselho Regional de Economia de São Paulo/Ordem dos Economistas do Brasil, é graduado em economia pela FEA-USP e integra o Grupo de Conjuntura da Fipe-USP. É colunista de economia desde 1999, com passagens pelos jornais Gazeta Mercantil, Estado de S. Paulo e O Globo e sites NoMinimo, iG e Poder 360.

do UOL

22/09/2020 04h00Atualizada em 22/09/2020 12h36

Se há alguma certeza em relação aos impactos da pandemia de Covid-19, essa é a de que houve uma aceleração nas tendências que já eram visíveis antes da emergência sanitária que envolveu todo o planeta. Essa verdade é geral e alcança também as profissões do futuro, que agora passaram a ser profissões de um futuro mais próximo.

Projeções do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) apontam para o surgimento, em no máximo até cinco anos, de incentivos para a formação e colocação de profissionais capacitados a responder à uma maior necessidade de internet ultrarrápida, em decorrência da ampliação das atividades online. "A pandemia intensificou, de forma dramática, esse processo de atualização tecnológica, o que deve antecipar para 2021 e anos seguintes uma demanda que estava prevista para daqui a cinco ou dez anos", constata o diretor-geral do Senai, Rafael Lucchesi.

No topo da lista dessas profissões estão o analista de soluções de alta conectividade e o orientador de trabalho remoto. Na avaliação do Senai, profissões já existentes também ganham mais fôlego e devem ter demanda aumentada, como é o caso dos técnicos em mecatrônica e em telecomunicações.

Ao todo, o Senai enumerou 25 ocupações que serão mais impulsionadas no pós-pandemia. A maior parte delas tem foco no desenvolvimento de atividades remotas, via internet, permitindo o trabalho em ambiente virtual.

O desenvolvimento desse ambiente, acelerado pela pandemia, ganhará enorme difusão com a adoção da tecnologia 5G de tráfico ultrarrápido das redes de conexão à rede mundial de computadores. Para tanto, será necessário desenvolver, instalar e garantir manutenção a uma nova infraestrutura.

Especialistas em novas ocupações, diretamente ligadas a essa infraestrutura, de acordo com as projeções do Sesi, terão demanda assegurada. Entre eles, os destaques irão para profissionais com conhecimento em administração de conectividade e especialistas em logística 4.0. Analistas de big data, de Internet das Coisas (IoT), e de impressão em 3D, com o avanço da internet no dia a dia, também estarão em alta.

São profissões conectadas com as tendências de ampliação das experiências de home office, educação a distância, entretenimento via lives, comércio online e telemedicina. Um profissional chave, nesse novo mundo, será o orientador de trabalho remoto - uma espécie de coach com conhecimento para ensinar os interessados a tirar o máximo proveito dos recursos online disponíveis.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Notícias