PUBLICIDADE
Topo

Notícias

'Dor absurda', mas 'nenhum trauma': médica relembra picada de cobra em MT

"Em nenhum momento pensei em deixar de fazer as coisas que faço", disse Dieynne Saugo à CNN - Reprodução/CNN Brasil
"Em nenhum momento pensei em deixar de fazer as coisas que faço", disse Dieynne Saugo à CNN Imagem: Reprodução/CNN Brasil
do UOL

Do UOL, em São Paulo

19/09/2020 16h10Atualizada em 19/09/2020 16h19

Após se dizer "100% curada" e deixar o hospital, a médica Dieynne Saugo lembrou do dia em que foi picada por uma cobra jararaca em uma cachoeira de Nobres (MT), no fim de agosto. Ela descreveu a dor como "absurda" e garantiu que o episódio não lhe deixa traumas, uma vez que Dieynne é apaixonada pela natureza.

"O momento da picada foi muito rápido. Na hora em que ela caiu da cachoeira e picou essa região do meu queixo, ela logo desceu no meu colete... Foi a hora que a puxei e levei mais duas picadas na mão. Foi um momento de desespero porque não imaginei que fosse uma picada de cobra", contou ela à CNN Brasil. "Foi uma dor absurda!".

Questionada sobre eventuais sequelas psicológicas, a médica disse não estar fazendo nenhum tratamento nesse sentido e exaltou sua própria saúde mental. "Tenho formações nas áreas de coaching, hipnose, inteligência emocional... Acho que tudo isso me ajudou muito a manter a calma. E a fé em Deus, né? Foi o mais importante de tudo", afirmou.

O caso, segundo Dieynne, não a afetou de nenhuma forma. Ela pretende voltar a frequentar cachoeiras a fazer outros passeios ao ar livre porque "ama a natureza" e "a vida é passageira".

"Nenhum trauma. Eu amo estar na natureza, adoro cachoeira, adoro rio, adoro praia. Foi uma fatalidade, um acidente. É só tomar os devidos cuidados e ter a consciência de não fazer queimadas, não prejudicar, porque são seres iguais à gente, e merecem viver. Em nenhum momento pensei em deixar de fazer as coisas que faço", declarou.

"100% curada"

Conhecida como "Dra. Fit", Dieynne recebeu alta do hospital ontem e comunicou a volta para casa em vídeo publicado nas redes sociais. A médica teve 70% das vias aéreas comprometidas pelo inchaço decorrente das picadas e ainda foi diagnosticada com covid-19 enquanto estava internada.

"Oi, pessoal. Acabei de receber alta hospitalar. Finalmente, com a graça de Deus. Foi feita a decanulação [procedimento médico] e estou 100% curada e recuperada para poder voltar para casa e comemorar essa vitória", anunciou.

Notícias