PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Ibovespa volta a flertar com 99 mil pontos antes de Fed

16/09/2020 11h55

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa voltou a flertar com o patamar dos 99 mil pontos nesta quarta-feira, pressionado por ações ligadas a commodities, como Suzano e Vale, com as atenções de agentes financeiros voltadas para o desfecho da reunião de política monetária do banco central norte-americano.

Às 11:45, o Ibovespa caía 0,25 %, a 100.044,94 pontos. Na mínima, chegou a 99.855,14 pontos. O volume financeiro era de 6,17 bilhões de reais.

"Investidores aguardam atentos pelo fim da reunião do Fomc, que poderá render sinalizações importantes para a política monetária", afirmou a equipe da Guide Investimentos, em comentários a clientes.

O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) vai divulgar seu comunicado e um resumo das novas projeções econômicas às 15h (horário de Brasília). O chair do Fed, Jerome Powell, dará entrevista à imprensa meia hora depois.

O encontro de dois dias é o primeiro do Federal Reserve sob uma estrutura recém-adotada que promete lançar a inflação para o patamar acima de 2% para compensar períodos, como o atual, em que está abaixo da meta.

Investidores no mercado brasileiro também estão na expectativa de decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que sairá após o fechamento da bolsa.

Após cortar a taxa Selic nove vezes desde agosto do ano passado, em 450 pontos-base, o Copom deve mantê-la em 2,0% na reunião de política monetária, segundo 37 dos 38 economistas consultados pela Reuters.

A sessão ainda tinha como pano de fundo melhora da previsão econômica para o Brasil em 2020 pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), embora a estimativa para 2021 tenha piorado.

DESTAQUES

- VALE ON recuava 2,65%, com o setor de mineração e siderurgia como um todo no vermelho após altas recentes, em meio a notícias sobre dividendos no caso da Vale e de aumento de preços do aço no caso das siderúrgicas. CSN ON perdia 2,77%, seguida por USIMINAS e GERDAU.

- SUZANO ON caía 3,23%, após forte alta na véspera. KLABIN UNIT cedia 2,59%, tendo no radar aprovação pela superintendência-geral do Cade da compra de ativos da IP no Brasil e convocação de AGE para decidir sobre incorporação da Sogemar.

- MARFRIG ON mostrava declínio de 3,92%, com parte do setor de proteínas também corrigindo valorização da véspera. JBS ON perdia 2,82% e MINERVA ON caía 0,87%, ainda no rescaldo do anúncio de que plano para vender fatia da subsidiária Athena Foods.

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON subiam 0,14% e 0,37%, encontrando suporte na forte alta dos preços do petróleo no exterior, onde o Brent avançava 2,69%.

- ITAÚ UNIBANCO PN valorizava-se 1,35%, em sessão positiva dos bancos, com BRADESCO PN em alta de 1,32%, contrabalançando a pressão vendedora no Ibovespa.

- BRMALLS ON subia 3,99%, com o setor de shopping centers entre os destaques de alta na sessão, com MULTIPLAN ON avançando 3,50% e IGUATEMI ON em alta de 3,35%. Investidores seguem acompanhando os reflexos do alívio nas medidas de lockdown em razão da pandemia de Covid-19.

- CVC BRASIL ON mostrava acréscimo de 3,55%, com o setor de viagens no pregão também na ponta positiva do Ibovespa, com GOL PN subindo 2,49% e AZUL PN ganhando 2,07%.

Notícias