PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Câmara votará novo pedido para abrir processo de impeachment de Crivella

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), é alvo de investigação sobre "QG da propina" - André Melo Andrade/Myphoto/Estadão Conteúdo
O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), é alvo de investigação sobre "QG da propina" Imagem: André Melo Andrade/Myphoto/Estadão Conteúdo
do UOL

Juliana Arreguy

Do UOL, em São Paulo

16/09/2020 20h26

A Câmara Municipal do Rio de Janeiro votará, amanhã, novo pedido de abertura de processo de impeachment contra o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos). O pedido foi entregue ontem por parlamentares do PSOL ao presidente da Casa, o vereador Jorge Felippe (DEM). Segundo a assessoria da Câmara, a votação terá início às 16h.

O texto menciona suposto envolvimento de Crivella em esquema de corrupção, no qual o prefeito carioca teria desviado verbas públicas, e é acusado de improbidade administrativa e crime de responsabilidade.

Na semana passada, Crivella e outros funcionários do alto escalão da prefeitura foram alvos de busca e apreensão da Operação Hades. Todos são suspeitos de envolvimento no que foi batizado de "QG da Propina" — suposto esquema de propina para a liberação de pagamentos da Administração municipal. O ex-presidente da Riotur Marcelo Alves e o irmão dele, Rafael Alves, foram dois dos alvos da ação.

As investigações mostram que o prefeito trocou quase 2 mil mensagens com Rafael Alves, que não tinha cargo na gestão. O empresário atuaria para facilitar contratos de empresas por meio do pagamento de propina e teria forte influência sobre o mandatário. Ambos negam as acusações.

É o segundo pedido de abertura de processo de impedimento contra o prefeito do Rio. O pedido anterior, motivado pela denúncia de que servidores comissionados atuavam para impedir o trabalho de jornalistas e demandas da população em unidades de saúde do Rio — os "Guardiões do Crivella" —, também foi feito pelo PSOL.

No início de setembro, a Câmara dos Vereadores rejeitou, por maioria simples, a abertura do processo. A votação apertada, que terminou em 25 a 23, foi apontada uma vitória do prefeito às vésperas da eleição municipal de 2020, ao qual ele busca a reeleição.

Notícias