PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Brasil passa dos 100 mil mortos por covid-19

Imagem do cemitério da Vila Formosa, em São Paulo, com valas preparadas para o sepultamento de vítimas da Covid - Nelson Almeida/AFP
Imagem do cemitério da Vila Formosa, em São Paulo, com valas preparadas para o sepultamento de vítimas da Covid Imagem: Nelson Almeida/AFP
do UOL

Do UOL, em São Paulo

08/08/2020 13h35Atualizada em 08/08/2020 13h57

O Brasil superou hoje a marca de 100 mil mortes provocadas pela covid-19. O número é do boletim extra do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte divulgado às 13h34 de hoje. O país tem agora 100.240 mortos pelo novo coronavírus.

O levantamento, que é feito com os dados das secretarias de saúde estaduais, indicou 538 novos registros de mortes nas últimas 24 horas e 2.998.796 milhões de casos confirmados.

O boletim das 13h, fechado um pouco antes pelo consórcio, saiu com o número abaixo da marca devido à não atualização dos casos e mortes no estado de São Paulo, o que foi feito pela secretaria estadual às 13h em ponto.

O país segue em segundo lugar no número de casos e mortes, atrás apenas dos Estados Unidos nos dois quesitos, segundo dados da universidade norte-americana Johns Hopkins.

A primeira morte no Brasil pela doença foi registrada em 16 de março, na cidade de São Paulo. Foi um homem de 62 anos que estava internado no Hospital Sancta Maggiore, da Rede Prevent Sênior, na zona sul da capital, e apresentava comorbidades.

De acordo com os dados do grupo de veículos divulgado na noite de ontem (7), o país tem uma média de 1.019 mortes por dia na última semana. O consórcio de imprensa passou recentemente a divulgar esse dado, observado com base nos números de óbitos dos últimos sete dias. Essa operação é a mais adequada para acompanhar a tendência das estatísticas, por equilibrar as variações abruptas dos números ao longo da semana.

País tem 40 mil mortes por síndrome respiratória sem causa revelada

O Brasil tem registradas, até o dia 1º de agosto, 40 mil mortes por SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) por causa não especificada. Os dados são do Ministério da Saúde e revelam uma provável subnotificação de casos da covid-19 no país, segundo especialistas consultados pelo UOL.

A SRAG é a principal complicação causada pela covid-19 e é responsável pela morte de mais de 95% dos casos da virose confirmados até aqui no país. Das 93,5 mil mortes de pacientes com o novo coronavírus registradas até o dia 1º de agosto, 91 mil tiveram a SRAG como causa.

Veículos se unem em prol da informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro (sem partido) de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa e assim buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes recentes de autoridades e do próprio presidente colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Notícias